Pescado fica mais barato em julho, mas acumula alta de 10% no ano

Entre os peixes que tiveram redução de preço, destaque para o filhote, que caiu 8,54%

Redação Integrada de O Liberal

Quem tem o costume de comprar pescado em Belém gastou menos em julho, segundo uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (16) pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base nos dados da Secretaria Municipal de Economia (Secon). Nos mercados municipais da capital paraense, a média de redução nos preços das principais espécies foi de 0,61%.

Entre os peixes que ficaram mais baratos:

  • Filhote (-8,54%)
  • Pirapema (-8,50%)
  • Pacu (-7,55%)
  • Tambaqui (-6,95%)
  • Pescada de gó (-5,97%)
  • Pratiqueira (-4,65%)
  • Tucunaré (-4,49%)
  • Bagre (-3,68%)
  • Aracu (-3,64%)
  • Dourada (-3,33%)
  • Camurim (-3,01%)
  • Pescada amarela (-2,90%)
  • Traíra (-2,75%)
  • Piramutaba (-1,75%)

Já os que tiveram reajuste no preço, segundo o estudo, foram:

  • Cação (13,07%)
  • Arraia (7,29%)
  • Curimatã (5,22%)
  • Xaréu (5,06%)
  • Cachorro de padre (4,25%)
  • Sarda (3,97%)
  • Pescada branca (3,67%)
  • Peixe pedra (3,53%)
  • Uritinga (3,28%)
  • Corvina (2,72%)
Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!