Veja como acessar os empréstimos do Fundo Esperança

Inscrições começaram nesta terça-feira (24) e seguem até o limite de valores ser atingido

Elisa Vaz

Micro e pequenos empreendedores que tiverem interesse em conseguir empréstimo para manter seus negócios durante a crise do novo coronavírus podem se inscrever no programa de crédito lançado pelo governo do Pará, o Fundo Esperança, por meio do site. O projeto foi aprovado na última sexta-feira (20) pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) e tem o objetivo de minimizar o impacto econômico provocado pela covid-19 no Estado.

As inscrições começaram nesta terça-feira (24) e seguem até o limite de valores ser atingido. No total, o governo destinou R$ 100 milhões para essa linha de crédito.

Gerenciado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e operacionalizado pelo Banco do Estado do Pará (Banpará), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), o Fundo Esperança vai oferecer créditos de até R$ 5 mil para microempreendedores individuais (MEI); até R$ 10 mil para microempresas; e até R$ 15 mil para empresas de pequeno porte e cooperativas. Haverá um prazo até 36 meses, com carência de 90 dias para o pagamento da primeira parcela, e taxa de juros de 0,2% ao mês.

De acordo com o governo, a iniciativa deve aquecer o setor econômico paraense nesse período de isolamento e menor fluxo do comércio, segmento que mais gera emprego no Estado. O titular da Sedeme, secretário Adler Silveira, disse que “a ideia é que os beneficiários entrem no site e façam seu cadastro. A partir disto, haverá atendimento do Banpará, que emitirá um cartão para que as pessoas possam ir ao banco ou caixa eletrônico fazer o saque desse valor”.

Ele ainda ressaltou que outras modalidades estarão incluídas, para que a economia do Estado continue aquecida enquanto o governo trabalha para superar a crise causada pelo novo coronavírus. “Teremos outra linha de crédito direcionada para folha de pagamento, com o valor de até R$ 50 mil, com taxa de 1%, 60 dias de carência e 36 meses pra amortizar o empréstimo. O objetivo é a manutenção dos empregos dos paraenses”, explicou Silveira.

A atuação do Sebrae-PA será na identificação dos empreendedores e consultoria prévia ao financiamento, apoiando o Banpará na execução das atividades previstas; e consultoria dos empreendedores para a utilização dos recursos captados por meio do financiamento. Segundo o diretor superintendente do órgão, Rubens Magno, objetivo do projeto é dar um “fôlego” na economia, para que os empresários não tenham tanto prejuízo.

“Os faturamentos estão menores nesse período, as empresas estão se adaptando e nosso principal papel é cuidar. A base da economia mundial são as micro e pequenas e empresas, e no Brasil não é diferente. No Pará, mais de 99% das empresas são nessa modalidade, que, sem dúvidas, é a primeira a sentir a queda na situação econômica causada pela pandemia, tem reflexo imediato. A economia já está desacelerando, nosso objetivo é que ela não pare”, destacou o especialista.

Ainda de acordo com ele, para acessar os créditos basta fazer parte da modalidade MEI, microempresa ou empresa de pequeno porte. “Para não criar aglomerações, todo o processo será digital, com exceção da retirada do cartão, mas com hora marcada diminui o risco”, garantiu Magno.

Passo a Passo para acessar o crédito:

- O empreendedor deve acessar o site do Fundo Esperança e olhar o passo a passo, abrir o formulário e informar seus dados e da sua empresa.

- Após isso, ele vai ficar em uma espécie “fila” de agendamento de contato. Em algum momento, um consultor do Sebrae vai ligar para o empresário para conhecer melhor a empresa e criar um plano de ação.

- Ele é, então, transferido para o Banpará, que vai agendar um dia, local e horário para quê o empreendedor vá em uma das agências retirar seu cartão.

Banco do Brasil libera créditos

Desde a última segunda-feira (23), o Banco do Brasil tem liberado operações de crédito para garantir a liquidez financeira das micro e pequenas empresas durante a pandemia do novo coronavírus. Os clientes poderão prorrogar as próximas duas parcelas a vencer, que serão migradas para o final do cronograma de pagamento de suas dívidas. Além disso, a incidência dos juros será diluída ao longo desse período de pagamentos. As linhas contempladas utilizam recursos próprios da instituição, e são: BB Giro Digital; BB Giro Empresa; BB Giro Rápido; BB Giro Cartões; BB Giro Corporate; e BB Financiamento.

Segundo o banco, o objetivo da ação é garantir que as micro e pequenas empresas não precisem dispor de seus caixas para pagar empréstimos neste momento, liberando recursos para garantir o pagamento de funcionários e fornecedores.

O pequeno empresário que quiser aproveitar a oportunidade pode fazer a contratação diretamente no Gerenciador Financeiro, pelo site do banco. Também é possível realizar na agência, mas o BB orienta que o empreendedor utilize o canal remoto, para evitar aglomerações.

A instituição ainda informou que está com todas as suas linhas de crédito de capital de giro à disposição dos clientes, para dar liquidez aos pequenos negócios.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!