Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Greve de ônibus: rodoviários paralisam atividades a partir desta terça-feira, 03

Serviços serão paralisados em Belém, Ananindeua e Marituba

Trabalhadores do transporte público de Belém decidiram pela paralisação dos serviços na capital, Ananindeua e Marituba a partir da meia-noite desta segunda-feira (02/05). A resolução obteve apoio unânime da categoria, que rejeitou a proposta do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Belém (Setransbel) em reunião ocorrida no início da noite de hoje na sede do Centro de Formação dos Rodoviários, no bairro do Marco.

Os rodoviários defendem aumento de 15% para o salário bruto e para o auxílio alimentação, mas o sindicato patronal sinalizou com uma contraproposta de aumento linear de apenas 4%, incluindo o reajuste salarial, o auxílio clínica, o auxílio alimentação e nos recursos direcionados ao centro de formação da categoria. Além disso, os trabalhadores são contrários à implantação de um sistema de banco de horas nas empresas e temem pela proposta que ampliaria a dupla função de motorista e cobrador em ônibus convencionais de 42 lugares.

“A gente está vendo uma perda iminente desses trabalhadores. Nós vamos combater essa manobra deles para expandir a dupla função. Imagine a condição que vai ser o serviço em um ônibus com 40 lugares sentado e mais de 40 lugares em pé para só uma pessoa fazer a função de motorista e cobrador. Vai ser um caos”, disse Luciano Barros, diretor de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários em Empresas de Transportes Coletivos de Passageiros de Belém (Sintrebel). Estimativas do sindicato apontam que há mais de 2 mil cobradores na capital.

Ainda de acordo com o rodoviário, não houve avanço em nenhum dos pontos da negociação, mas a categoria espera que alguma tentativa de acordo ocorra novamente nesta terça-feira. “Levamos hoje (02) uma proposta de aumento de 12% pelo menos para recuperar as perdas da inflação porque o trabalhador está enfrentando uma dificuldade imensa em tudo. Mas eles apenas aumentaram de 3,53% para 4%. Nós não vamos abrir mão das nossas perdas e vamos mobilizar a categoria para ter adesão em todas as empresas”, afirmou Luciano Barros.

O Setransbel ainda não se posicionou sobre a greve até o momento.

Mais informações sobre a greve em instantes.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA