Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

No Pará, mais de 1 milhão de famílias dependem dos R$ 400 do Auxílio Brasil

O total de famílias incluídas no programa passou de 956,3 mil em dezembro de 2021 para 1,1 milhão em janeiro deste ano

Natália Mello / O Liberal

A terceira parcela do programa de assistência Auxílio Brasil começa a ser paga nesta terça-feira (18) e vai alcançar três milhões de grupos familiares. No Pará, o programa passou de 956.353 mil, em dezembro de 2021, para 1.129.629 milhão de famílias beneficiadas em janeiro, o que significou um acréscimo de 173.276 lares em território paraense..

De acordo com o economista Rosivaldo Batista o programa é responsável atualmente pela renda de 13% das famílias do Pará. “A população do Pará é de aproximadamente 8 milhões e 600 mil pessoas. O número de pessoas que recebem (1.129.629 milhão) representa 13% da população total do estado. Sem dúvida alguma é expressiva a quantidade de pessoas que depende do auxílio do governo federal. Obviamente o orçamento doméstico varia de família para família em função da renda e dos componentes do grupo familiar”, disse, sobre como deve ser aplicado o recurso recebido.

O economista ressalta ainda que, independentemente de renda disponível, toda família deve fazer o seu orçamento doméstico identificando os itens essenciais como alimentação, casa e roupas, com itens não essenciais podendo serem postergados. “Verificar também onde ocorre desperdícios. Com base no orçamento é possível identificar situação de equilíbrio, desequilíbrio e deficitário pior situação. Desta forma qualquer acréscimo de renda tem de ser direcionado de acordo com o seu orçamento”, concluiu Rosivaldo.

Benefício passou a ser de R$ 400

Com a promulgação da emenda constitucional que permitiu o parcelamento de precatórios (dívidas reconhecidas definitivamente pela Justiça), o valor da parcela passou para R$ 400. Dona Socorro Amâncio, de 55 anos, é uma das beneficiárias do programa. Ela considera o auxílio uma boa ajuda e que, com o valor, consegue pagar a conta de luz e de água, e às vezes sobra para complementar algo da alimentação.

“Já cheguei a pagar 500 reais de energia. Hoje tem dado R$ 200, R$ 110. O meu benefício é só dia 26, aí quando vou já levo o papel de água e luz, chego em casa com pouco, quase sem nada desse dinheiro, complemento um almoço, um remédio”, diz Socorro, que sobrevive de benefícios e de serviços autônomos que ainda presta como diarista para serviços domésticos.

As novas famílias incluídas no programa receberão o Auxílio Brasil por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite a movimentação de depósitos em contas poupança digitais, até o recebimento do cartão.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA