Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Economia faz ajustes finais para prorrogação do auxílio emergencial

Paulo Guedes prevê mais dois meses de dificuldades, 'mas já estamos voltando'

Reuters

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira, 5, que a equipe econômica ainda está redigindo as medidas finais do período de auxílio emergencial, após já ter anunciado a extensão do programa por mais dois meses, levando seu custo total a 254,4 bilhões de reais.

"Ainda há um ou dois meses pela frente de dificuldade pelo menos, mas já estamos voltando", afirmou ele, em referência ao impacto da crise do coronavírus.

Ao participar de comissão mista da reforma tributária, o ministro pontuou que a reformulação do auxílio será estudada junto com o Congresso, dentro do chamado Renda Brasil.

Sobre a reforma tributária, Guedes disse que o espírito do governo é "completamente construtivo" e de "apoio total" à versão mais ampla de um imposto sobre o consumo, após o envio de proposta pelo Executivo que mira a junção apenas dos tributos federais Pis e Cofins.

"Nosso primeiro passo é exatamente a CBS, contribuição sobre bens e serviços, que é o IVA federal. Isso deverá ser acoplado aos IVAs estaduais formando então o IBS, que é o projeto que está na PEC 45", disse.

Segundo o ministro, haverá reunião nesta tarde de técnicos do Ministério da Economia com secretários de Fazenda para debater o acoplamento do IVA federal com os IVAs estaduais.

 

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA