Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Compras de fim de ano: Veja como não cair em golpes virtuais

Saiba como se prevenir e quais procedimentos tomar caso seja vítima de uma fraude online

O Liberal

No período de final de ano, com as compras de presentes e roupas para toda a família, muitas pessoas acabam sendo vítimas de crimes virtuais. As estratégias usadas por criminosos para tentar enganar os consumidores são diversas e envolvem também as redes sociais. E para não acabar no prejuízo, os compradores devem ficar atentos e seguir algumas orientações de como se resguardar e evitar os golpes.

VEJA MAIS

Aprenda a identificar a compulsão por compras, classificada como transtorno pela OMS Para diferenciar uma compra normal de uma compulsiva, deve-se observar o grau de angústia sofrida pela pessoa

Auxílio Brasil deve ser revertido em compras de alimentos por famílias de baixa renda no Pará O programa irá substituir o Bolsa Família a partir de novembro

Os links falsos e maliciosos usados em crimes têm chegado de diversas maneiras. Dentre as mais comuns estão os anúncios em redes sociais e através de aplicativos de mensagens instantâneas. Nestes espaços, a propaganda do criminoso se disfarça de anúncios reais, chegando a copiar logomarcas e sites inteiros para enganar o comprador.

“É importante tomar cuidado com links duvidosos e sites suspeitos porque há uma grande probabilidade de a pessoa ser vítima de um crime. Esses golpes variam e são dos mais diversos tipos. Assim como a pessoa pode ser vítima de um estelionato, ela pode ter seus dados copiados e sofrer crimes contra a imagem, ou até mesmo ser utilizada como ‘laranja’ na abertura de contas bancárias. Estes são apenas alguns dos exemplos que mostram o quanto é importante tomar cuidado”, explica a delegada Maria de Fátima, chefe da divisão de combate a crimes econômicos e patrimoniais praticados por meios cibernéticos (DCEP). 

Se não houver cuidados, a pessoa pode ter prejuízos como o cartão clonado, dados expostos e o valor enviado à “compra” perdido. 

“Os danos podem ser materiais, como no caso de vítimas de estelionato. Além disso, a pessoa pode sofrer com processos penais, caso o criminoso se aproprie dos dados da vítima. Isso ocorre quando a pessoa perde um acesso às suas mídias digitais ou até mesmo documentos, e os golpistas usam essas informações para cometerem crimes e tentar ocultar suas identidades”, diz a delegada.

Como se prevenir

O perito forense Inácio Gorayeb deu algumas orientações sobre como evitar cair em golpes online. De acordo com ele, pequenas atitudes simples podem evitar um enorme prejuízo.  

  • - Desconfiar de ofertas imperdíveis e com preços muito diferentes do mercado;
  • - Checar no site oficial da loja se a oferta realmente existe;
  • - Checar se  o endereço do “site” em que pretende comprar é real, podendo ser observado na barra de endereço do navegador de internet do celular.
  • - Preferir comprar através dos aplicativos oficiais desde que obtidos através das lojas de aplicativos como a Google Play e a App Store. Checar se o desenvolvedor do APP que está baixando é a própria marca e/ou loja através da descrição.
  • - Checar se o valor cobrado tanto via boleto quanto via cartão, é exatamente o mesmo que o anunciado.
  • - Verificar antes da confirmação do boleto, se no resumo do pagamento aparece o nome da loja. Caso tenha um nome diferente, não deve comprar.
  • - Nas compras no cartão, deve-se verificar a fatura e ver se o nome da loja consta na compra, caso a informação seja diferente é necessário comunicar a operadora imediatamente e bloquear o cartão.

Caso seja vítima de um golpe virtual, o consumidor deve registrar uma ocorrência e buscar assistência jurídica. Os dois passos são importantes pois a polícia investiga o crime buscando identificar quem foi autor, em um processo criminal. Já na questão de reaver valores, cabe ao judiciário em um processo civil. Sendo assim, uma ação auxilia a outra.

Também é necessário bloquear cartões, trocar senhas dos aplicativos utilizados e salvar o que se tiver de informação sobre o golpe (prints, mensagens, códigos horários, etc). Com isso, a pessoa que foi vítima pode registrar uma ocorrência na Polícia Civil e também procurar assistência jurídica, se for o caso.

 

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA