Whindersson Nunes volta a falar sobre depressão, no 'Altas Horas'

A internet 'fez tudo com a minha vida', afirma, se referindo à fama e ao sofrimento emocional

Agência Estado

Whindersson Nunes voltou a falar durante participação no programa Altas Horas do sábado, 16, da Globo, sobre quando estava com depressão. Questionado por Marília Gabriela se a internet contribuiu para o quadro depressivo, ele confirmou.

"Foi a rede que fez tudo com a minha vida, tanto que me deu o que eu tenho hoje quanto ter me perturbado por muito tempo", disse o humorista.

Diante dos impactos negativos que as redes sociais podem ter sobre as pessoas, Whindersson afirmou que buscou conhecimento e entender as outras pessoas.

Lei também: Whindersson Nunes apresenta neste domingo 'Volta do que não foi', em Belém

"A gente acha que todo mundo está com o mesmo problema e que se trata da mesma forma e não é", disse ele. "Antes eu estava absorvendo tudo que tinha de ruim, comentário ruim. Às vezes, [tinha] mil comentários bons, um ruim me deixava mal. Comecei a entender que simplesmente é natural."

O humorista citou ainda que é importante ter bom senso em qualquer momento da vida e que atitudes boas resultam em retornos positivos.

Whindersson Nunes está há quase dez anos na internet com vídeos de humor no YouTube e nas demais redes sociais. Ele percebe que, ao longo do tempo, as informações e as desinformações circulam mais rapidamente.

Porém, quanto ao comportamento das pessoas na rede, ele afirma que é uma "personificação" do que os internautas são de verdade. "Quem xinga no comentário é quem xinga na rua."

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA