Saiba mais sobre libido a partir da ninfomaníaca de 'A Dona do Pedaço'

Déborah Evelyn disse ter libido alta como sua personagem; psicóloga fala sobre esse comportamento

Redação Integrada

Em entrevista recente ao site Extra, a atriz Deborah Evelyn, que interpreta a bem humorada Lyris na novela “A Dona do Pedaço”, falou sobre as situações divertidas pelas quais sua personagem passa. Acontece que a maioria das situações que marcam personagem, ocorrem por conta de sua libido, um tanto exagerada.

“Ela é um pouco ninfomaníaca! Imagina: vou ficar oito meses agarrando Malvino Salvador. Não vai ser difícil, né?”, brincou a atriz, de 53 anos, que também confessou, assim como a personagem, ter a libido alta. “A gente tem que aproveitar as coisas boas da vida, né? O prazer é realmente um prazer pra mim”.

Debora, casada há cinco anos com o arquiteto alemão Detlev Schneider, já teve outro casamento mais longo, de 23 anos, com o diretor Dennis Carvalho. Ela diz que, assim como sua personagem, já passou por altos e baixos, mas nunca precisou de uma sexóloga, como Lyris.

A falta de libido, no entanto, é um problema comum. A psicóloga Danielle Nascimento, explica que a libido é fundamental para entender o comportamento humano, já que ela acaba condicionando a energia que direciona os instintos vitais.  

“A libido está ligada exclusivamente nos órgãos genitais, e estando ligada a eles, ela também pode estar ligada a um objeto, a uma pessoa ou ao próprio corpo, como uma atividade de uma forma intelectual. Então algumas pessoas podem ter a mais, outras menos, independe de ser homem ou mulher”, explica Danielle.

A psicóloga conta que há fatores comuns que podem afetar a libido tanto no corpo masculino quanto no feminino, como estresse, depressão e ansiedade. Mas explica que também há fatores que influenciam nos dois de forma diferente.

“Com relação a mulher, a questão de alguns medicamentos como anticoncepcionais, acabam diminuindo a libido, e isso também acaba refletindo, de alguma forma, em uma baixa autoestima, porque eu passo a não me ver mais como objeto de desejo, e isso também implica na libido, o impulso sexual”, explica.

Danielle também fala sobre as questões que afetam a libido no corpo masculino. “Na questão do homem, além do estresse e ansiedade, vamos ter a testosterona, que algumas vezes está num nível elevado, o que também aumenta a libido”.

A psicóloga compara a libido a um motor que possuímos para o impulso do desejo sexual. “Algumas pessoas tem mais e outras, menos”, diz. Sobre a falta de libido em indivíduos, diz que cada caso pode ser diferente de um para outro, e que é importante investigar junto a um profissional se há problemas hormonais ou ligados a estresse, ansiedade e depressão.

Televisão