Disney lança filme 'Black Is King', com Beyoncé, para homenagear cultura africana

A cantora explicou que a ideia do álbum visual surgiu enquanto produzia a trilha sonora da versão 'live action' de O Rei Leão

Agência Estado

A Disney lança o filme Black Is King (Preto é Rei, em tradução literal), nova produção do Disney+ que é um álbum visual da cantora Beyoncé, nesta sexta-feira, 31. O trailer foi divulgado em 28 de junho e a cantora comemorou o lançamento em sua conta no Instagram. Ela explicou que a produção busca homenagear a cultura africana.

"Eu acredito que quando pessoas negras contam suas histórias, nós podemos mudar o eixo do mundo e contar nossas verdadeiras histórias de riqueza geracional e de alma que não são contadas nos livros de história", comentou Beyoncé, destacando que o álbum é um "trabalho de amor".

A cantora explicou que a ideia para o projeto surgiu enquanto produzia a trilha sonora da versão "live action" de O Rei Leão e que ela tem produzido o filme há um ano. A ideia é "celebrar o tamanho e beleza da ancestralidade negra", apresentando elementos da história negra e da tradição africana com um "toque moderno e mensagem universal".

Beyoncé contou que espera que o filme sirva como uma inspiração para a continuidade da construção de um legado que impacte o mundo. Na descrição do trailer há a informação de que o filme é uma "reimaginação das lições de O Rei Leão para os reis e rainhas de hoje que procuram por suas coroas".

A produção foi lançada no Disney+, serviço de streaming da Disney, nesta sexta-feira. Como a plataforma não foi lançada no Brasil, ainda não há previsão de estreia por aqui.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA