Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Íris da Selva representa a Amazônia no Programa "Impulso 2.0" da UBC

O programa visa promover a aceleração das carreiras dos artistas

Bruna Lima

O artista paraense Íris da Selva está entre os finalistas do Programa "Impulso 2.0" da União Brasileira de Compositores (UBC), que tem o objetivo de ajudar a acelerar a carreira de músicos de diferentes regiões do país. Além de Íris,  a fase final também conta com   o duo de pop e mpb Dulcineia formado pelo casal Tiago Tortora e Gabriel Alyrio, a cantora pop do Rio Grande do Sul Laura Schadeck, o cantor e compositor paulista Martte e o artista Victor Mus, nascido e criado na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Nesta fase final, os artistas vão receber financiamento como forma de promover a aceleração de suas carreiras com mentorias individuais com grandes nomes do mercado musical, com capacitação e soluções personalizadas no período de cinco meses. Além disso, os finalistas também serão premiados com um conjunto de serviços e um song camp.

Íris explicou que passou por duas etapas antes de chegar entre os finalistas e na etapa final cada artista defendeu seu projeto. "No meu projeto eu defendi o lançamento do meu disco e tocar em algumas cidades da Amazônia como Maranhão, Amapá e entre outras localidades. E defendi que é importante a gente fortalecer a cena local não só de Belém, mas também da Amazônia. Eu fiz meu projeto pensando no orçamento sugerido por eles e foi aceito", explica o artista.

Íris da Selva é artista trans não-binare da Amazônia. Nascido em Belém do Pará, tem em sua música a mistura da MPB com fortes elementos do carimbó. Em sua música carrega a sensibilidade e a força das encantarias das águas em sua poética musical. A espiritualidade é seu elemento condutor e suas composições procuram descortinar o dia a dia, na busca de apresentar ao mundo sua percepção das delicadezas e entrelinhas da vida.

O artista está feliz com o incentivo da União Brasileira de Compositores, pois terá a oportunidade de viver um novo momento da carreira. “Isso tudo representa um passo muito importante do meu trabalho, que é a organização, a expansão de uma forma mais sólida e madura”, diz Íris.

Para o orientador da iniciativa, o Impulso foi uma ferramenta de autogestão e autoconhecimento para os artistas, que gerará bons frutos: ”Propomos um sistema em que cada participante deveria se envolver com o conhecimento, sem necessariamente estarmos temporalmente sincronizados explicando os assuntos sobre o mercado da música, ricamente apresentado pela equipe da UBC e pelas mentorias gravadas”, comenta Iuri Freiberger.

Na lista de mentores do ‘Impulso 2.0’ estão: Renata Mader (Altafonte Brasil), Pablo Bispo (selo Inbraza -- Som Livre/ Brabo Music Team), Elisa Eisenlohr (Warner Chappell), Leo Feijó (Música & Negócios), Kamilla Fialho (K2L), Luisi Valadão (Lupa Comunicação), Marina Mattoso (Jangada), Constança Scofield (Toca do Bandido), Fabiane Costa (Produção Artística/Espaço Favela - Rock In Rio), Marisa Gandelman (Advogada especialista em Direitos Autorais e Ex-CEO da UBC), Pedro Seiler (Queremos!), Pedro Tourinho (MAP Brasil) Igor Bonatto e Fabiano Guimarães (Noodle), Romero Ferro (cantor, compositor e vencedor da 1a edição do Impulso), Fernando Lobo (Head of Music na TV Globo), Paula Lima (cantora e diretora da UBC), Bibi (cantora e compositora), Fernando Aranha (designer/supervisor de som e compositor) e Pedro Loureiro (Projetar Gestão Estratégia).

 

 

Palavras-chave

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA