DJ Edilson, do Príncipe Negro, recebe alta do hospital após 32 dias internado

Diagnosticado com a covid-19, músico foi aplaudido pela equipe hospitalar após recuperação da doença e suas consequências

Ana Carolina Matos

A batalha finalmente foi vencida. DJ Edilson, do Príncipe Negro, recebeu alta hospital no final da manhã desta segunda-feira (25). O músico foi diagnosticado com covid-19 e estava internado desde o dia 23 de abril. Mesmo recuperado da doença, o profissional do segmento musical continuou recebendo cuidados no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, por ter tido os dois pulmões afetados pelo novo coronavírus.

Leia mais: Artistas paraenses relatam superação da covid-19 e falam de esperança

Em um vídeo enviado ao OLIBERAL.COM, DJ Edilson comemora a vitória da liberação do hospital. Visivelmente emocionado, assim como alguns profissionais da saúde, o músico aparece rodeado pela equipe do Hospital Aberlado Santos, que o ajudou no momento conturbado. O músico foi recebido com a música "Ressuscita-se", da cantora gospel Aline Barros, seguido de aplausos. 

"Que Deus continue tocando as mãos de vocês pra que vocês continuem salvando vidas, como ajudaram a salvar a minha. Vocês são pessoas que derramam amor aqui dentro, que merecem todo o reconhecimento. Eu sou muito grato ao amor de vocês, ao carinho e dedicação de vocês. Tenho certeza que Deus vai continuar presente nesse hospital, porque tem muita gente precisando, assim como eu precisando. Tenho certeza que muito outros terão alta também", disse.

À reportagem, DJ Edilson falou sobre como a auto-medicação o prejudicou neste percurso. "Comecei a sentir os primeiro sintomas lá pelo dia 16 de abril. Só que eu fui negligente, não foi procurei médico. Apenas comprei uma caixa de remédio e tomei um dia, depois não tomei mais. Os dias foram passando e, com isso, os sintomas foram se agravando e vieram os sintomas como dor no peito e falta de ar", detalha. Com a saúde cada vez mais debilitada, o músico procurou ajuda no Hospital e Pronto Socorro Municipal Mário Pinotti, o PSM da 14, no dia 23 de abril. Em seguida, foi transferido para o Hospital Aberlado Santos no dia 25 de abril.

Na época em que o diagnóstico veio à tona, DJ Edilson recebeu a informação de que cada pulmão estava com 60% das funcionalidades comprometida. "Senti muito medo. Quando estava na UTI, os 12 dias que passei lá, tive muito medo de não resistir, insegurança. Às vezes a saturação tava baixa, eu pensava que não iria conseguir, mas buscava Deus pra fortalecer", relembrou. Ele chegou a 19 dias sem conseguir andar.

No ano em que será pai pela primeira vez, o músico conhecido das festas de aparelhagem de grande sucesso no Pará, relembrou da preocupação de não conseguir ver o filho. "Sou casado há 13 anos e minha esposa está grávida do nosso primeiro filho, está com três meses. Então vinha aquele aperto no coração, aquela agonia, o sonho de querer ter o filho no colo daqui a pouco", enfatizou ele, que há 25 anos comanda a aparelhagem Príncipe Negro ao lado do irmão, DJ Edielson.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA