Comunidade católica apresenta o musical 'Filho de Deus, Menino Meu?'

Espetáculo que representa o nascimento de Jesus chega ao 14º de apresentação em 2019

Enize Vidigal

O musical “Filho de Deus, Menino Meu?” põe o público em sintonia com o cerne do espírito natalino: o nascimento de Jesus. Realizado pela Comunidade Católica Shalom, o espetáculo chega ao 14º ano de apresentação nesta quarta-feira (11), no Teatro Maria Sylvia Nunes, às 19h30. No palco, estarão 32 atores, que também cantam e dançam, selecionados entre missionários e voluntários da própria comunidade. Haverá outra sessão somente no próximo dia 21, no CCBEU, às 19 horas.

Contar uma das histórias mais antigas da humanidade é o desafio da Shalom. O roteiro é uma adaptação do livro de Maria Emmir Nogueira, cofundadora da comunidade., feita por Wilde Fábio Alencar, secretário de artes da comunidade. A adaptação cênica utiliza elementos do teatro mambembe, com músicas e coreografias especialmente compostas e elaboradas para o espetáculo, que vão do gênero tango ao pop. A direção cênica é de Ricardo Oliveira, ator, cantor, dançarino, que iniciou no teatro em 2012, com experiência em espetáculos voltados à temática católica. As coreografias são de de Fernanda Guedes e Elza Pontes e a direção musical, de André Teixeira.

O espetáculo narra o nascimento do maior homem que já existiu a partir das origens de Maria, desde o nascimento, a relação com os pais, Ana e Joaquim, os votos, a concepção sem pecado e o casamento com José até o nascimento de Jesus. Maria é interpretada por Larissa Alves, membro da comunidade, que encenou a mesma peça em outros estados. Enquanto André Teixeira, que é missionário cearense, encarna o personagem José. Para o espetáculo, são usados dois bebês de verdade, com idades entre um e quatro meses, para representarem Maria ainda recém-nascida e também o pequeno Jesus.

"Queremos mostrar a experiência de mostrar às pessoas o empobrecimento de Deus e sua entrega a nós, que não é um Deus distante, mas uma criança, um ser humano como nós, que também experimentou da nossa fragilidade", declara Larissa. "É uma grande responsabilidade passar para o público de maneira fidedigna, através da arte, o acontecimento mais importante de todos os tempos para toda a humanidade. Estudar o personagem, viver a cena como se fosse ele, alcançar o coração da plateia, requer além de muita dedicação, fé e oração para que Deus conduza tudo e favoreça o maior objetivo que é fazer com que o público tenha uma experiência com o menino Jesus", considera Clayton Ataíde, que vai interpretar Joaquim.

PREPARAÇÃO

A cada ano, o elenco se renova. Os 32 artistas deste ano foi selecionado em uma audição conduzida por Ricardo, com candidatos de dentro e também de fora da comunidade Shalom. "Muitas pessoas que já assistiram, se interessam em participar", contou. O preparo do elenco contou com dinâmicas teatrais para os artistas lidarem com nervosismo e timidez e despertarem a criatividade para o improviso.

"O espetáculo conta a história do nascimento do menino Deus, de uma forma nova, criativa e bem-humorada", diz a diretora executiva Natasha Ferraz. “A ideia é trazer a experiência do Deus que se encarna para o presente, de um Deus pobre, pequeno, que experimentou da nossa fragilidade humana e se fez o menor de todos. Uma criança nascida em palhas para engrandecer e redimir a nossa humanidade frágil, humanidade essa que, longe do Eterno, se compara às palhas da sua manjedoura”, compara.

Agende-se

Dia: quarta-feira (11), às 19h30
Local: Teatro Maria Sylvia Nunes (Estação das Docas)
Ingressos: 1º lote a R$15 e 2º lote a R$20 à venda nos centros de evangelização da comunidade Shalom (Tv. Três de Maio, 1618, São Brás e Tv. We Quarenta, 44, Cidade Nova, Ananindeua) e neste link.
Informações: (91) 98191-6529.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA