Sexta edição do Amazônia Doc reúne três festivais a partir deste sábado, 12

Além da mostra principal, programação terá também o 1º 'As Amazonas do Cinema' e o 1º 'Curta Escolas'

Vito Gemaque

A 6º edição do Amazônia Doc – Festival Pan Amazônico de Cinema será aberto neste sábado, 12, com dezenas de filmes de longa, média e curta duração abordando a região Pan-Amazônia, que abraça a maior floresta tropical e bacia hidrográfica do mundo.

No total são 7,8 milhões de quilômetros quadrados, distribuídos entre 9 nações da América Latina. Pela primeira vez, o festival será em formato 3 em 1, com mais dois sub-festivais, o 1º As Amazonas do Cinema e o 1º Curta Escolas.

A programação do 6º Amazônia Doc segue até dia 23 de setembro, com exibição de documentários em mostras competitivas, oficinas e bate papos. A abertura deste sábado, 12 de setembro, às 19h, contará com o Web Encontro “A Floresta do Cinema e o cinema da Floresta no Século XX e XXI", que traz como convidados os cineastas Luiz Arnaldo Campos (Brasil), Eduardo Morettin (Brasil), Gustavo Soranz (Brasil), Silvio Tendler (Brasil), Edna Castro (Brasil), Camila Loboguerrero (Colômbia) e Januário Guedes (Brasil).

A mediação será do cineasta Victor Lopes, da produtora executiva e diretora geral do Amazônia Doc, Zienhe Castro, e do pesquisador Felipe Pamplona.

O encerramento do festival, no dia 23 de setembro, também contará com web-encontro para a cerimônia de premiação dos filmes vencedores das três mostras competitivas do “Festival Amazônia Doc”, “Festival As Amazonas do Cinema” e do “Festival Curta Escolas”.

A apresentação será de Amanda Campelo, mediação de Zienhe Castro, às 19h. Os dois web encontros de abertura e encerramento serão pela plataforma Zoom, com transmissão pelo Canal Youtube Amazônia Doc, e retransmissão para o Facebook Equatorial Energia.

Pela primeira vez, o festival Amazônia Doc terá uma plataforma de streaming www.amazoniaflix.com.br, que exibirá as mostras competitivas de documentários, iniciando pela mostra principal, cujas obras vão concorrer ao troféu Amazônia Doc, criado e confeccionado pelo artista marajoara Ronaldo Guedes, da Associação do Pacoval, em Soure, e que há dez anos atua no festival.

O público poderá votar nas categorias de Melhor Curta, Média e Longa. O júri oficial para longas é formado por Flávia Guerra, Victor Lopes, Ismaelino Pinto, John Fletcher e Susanna Lira. O júri para curtas, tem Rodrigo Antônio, Bruno Assis, Fernanda Kopanakis e Bibiana de Sá.

O festival terá 13 longas neste ano dentre eles “Transamazonia”, “Xadalu e o Jaguaretê”, “Servidão”, “Soldados da Borracha”, “Maria Luiza”, “Mestre Cupijó e seu Ritmo”, “Homo botanicus”, “Jaburu”, “Eu, um outro – Uma experiência na Justiça do Trabalho”, “Amazônia Sociedade Anônima”, “Amoka” e “A nossa bandeira jamais será vermelha”.

A organizadora Zienhe Castro observa que a grande maioria dos temas dos documentários são recorrentes, mostrando que as questões sociopolíticas e socioambientais permanecem inalteradas na Amazônia.

“Quase nada mudou nos últimos dez anos. Tínhamos avançado muito pouco e agora ficou tudo um tanto pior. Isso é desolador! Por outro lado, enquanto cinema, há sempre uma renovação, uma nova abordagem, novas formas de linguagem, experimentações, o que dá novo vigor à luta, ar fresco”, declarou a diretora geral e produtora executiva do Amazônia Doc.

Novos festivais

O Amazônia Doc terá neste ano duas novas mostras. O 1º Festival “As Amazonas do Cinema” reafirma discussões já realizada na edição de 2019, com temáticas voltadas à presença da mulher no cinema documentário.

Na mostra competitiva serão exibidos 21 filmes, entre curtas e longas, que irão concorrer ao troféu Eneida de Moraes, uma homenagem à personalidade da escritora, que fundou o Museu da Imagem e do Som, em 1971. O troféu traz criação assinada pela designer Bárbara Müller. E haverá ainda o Prêmio Selo Ela, de distribuição. O Festival As Amazonas do Cinema recebeu 50 inscrições de estados brasileiros diversos e países da América Latina.

A Mostra Competitiva vai de 14 a 20 de setembro, pelo site www.amazoniaflix.com.br. A mostra competitiva reúne documentários dirigidos por cineastas mulheres da Amazônia Legal e da Pan-Amazônia nas categorias de melhor curta e melhor longa. O público também vota nas duas categorias.

O segundo festival será o 1º Curta Escolas, festival que também se integra ao Projeto Amazônia Doc, com objetivo estimular a expressão artística dos alunos do Ensino Médio das Escolas Públicas Estaduais do Pará, por meio da linguagem cinematográfica, realiza a Mostra Primeiro  Olhar, que também será exibida para todos os municípios, por meio da TV Cultura do Pará. Os vencedores também receberão troféu.

A mostra exibirá filmes curtas documentários de até 15 min, produzidos por alunos das escolas públicas estaduais do Pará. O júri oficial conta também com a professora Lilia Melo, Angela Gomes, Wellignta Cruz e Joyce Cursino. A transmissão será pela TV Cultura do Pará e pela plataforma.

O Festival Amazônia Doc também se tornou embaixador da Campanha Povos da Floresta contra a Covid 19. Durante todo o festival será intensificada a divulgação desta ação que visa arrecadar fundos para a aquisição de itens indispensáveis para a proteção dos Povos da Floresta, como kits contendo álcool em gel e máscaras, assim como ajudar na aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de produtos alimentícios.

6º Amazônia Doc

Programação completa - http://www.amazoniadoc.com.br/#programacao

Plataforma Amazonia Flix- https://www.youtube.com/user/amazoniadoc

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA