O streaming vira aliado na quarentena contra o novo coronavírus

Veja dicas de filmes e canais para acessar conteúdos para passar o tempo em casa

Lucas Costa

Diversos canais de TV por assinatura abriram seus sinais para ajudar no entretenimento das pessoas que passaram a ficar em casa, em quarentena, por conta do novo coronavírus. Trata-se de uma medida protetiva contra a contaminação pela covid-19.

O leque de filmes e séries para curtir em casa é enorme, passando pelo catálogo de serviços de streaming, TV por assinatura, e até mesmo os on demand. Por conta disso, O Liberal pediu ajuda para uma galera que entende do assunto, e eles indicaram uma lista de títulos para aproveitar a TV de casa.

O primeiro filme da lista é “Corrente do Mal” (2014). O terror de David Robert Mitchell conta a história da jovem Jay. Ela leva uma vida tranquila entre escola, paqueras e passeios no lago; mas após uma transa, o garoto com quem passou a noite explica que ele carregava no corpo uma força maligna, transmissível às pessoas apenas pelo sexo. Enquanto vive o dilema de carregar a sina ou passá-la adiante, a jovem começa a ser perseguida por figuras estranhas que tentam matá-la e não são vistas por mais ninguém.

A indicação é de Rafael Oliveira, crítico de cinema e produtor de conteúdo digital. Ele descreve a trama como “um slasher sobrenatural, que alia muito bem a criatividade bizarra da história com o tom setentista dos filmes de terror que John Carpenter fazia nos anos 70”.

Para quem é das emoções, Lucas Blanco, estudante de cinema da UFPA, indica o musical “La La Land - Cantando Estações” (2017). O filme de Damien Chazelle acompanha o pianista Sebastian, que ao chegar a Los Angeles conhece a atriz Mia, e os dois se apaixonam perdidamente.

Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo, ao mesmo tempo que perseguem fama e sucesso.

“É um filme muito poético que nos causa uma mistura de emoções e sentimentos, e tenta transmitir ao público aquela sensação nostálgica de que podemos sonhar e realizar esses sonhos”, diz Lucas.

Os universos desenvolvidos nos filmes de ficção científica são um convite para quem está em casa. Um exemplo é “Filhos da Esperança” (2006), de Alfonso Cuarón. A trama se passa em um futuro distópico, onde as mulheres não conseguem mais engravidar.

O mais novo ser humano morreu aos 18 anos e a humanidade discute seriamente a possibilidade de extinção. O filme tem no elenco nomes como Clive Owen e Julianne Moore.

“É uma distopia de urgência social e epidêmica que impressiona muito aos olhos e a mente, e tem um poder de imersão muito forte dentro do trabalho técnico”, diz Rafael Oliveira sobre o filme.

Já o filme brasileiro que impressionou os cinéfilos ao redor do mundo todo no ano passado também está disponível para assistir on-line. “Bacuraru” (2019), de Kleber Mendonça Filho, se passa em um pequeno povoado localizado no sertão brasileiro. Os moradores descobrem que a comunidade não conta mais no mapa, e aos poucos percebem movimentações estranhas na região.

“É um filme nacional prestigiado internacionalmente, que mostra a versatilidade e a qualidade do cinema brasileiro, além de representar o povo nordestino que raramente pode se ver nas telas de cinemas em filmes que são super produções”, diz Lucas Blanco.

Outro terror para ver em casa é “A Visita” (2015), de M. Night Shymalan. No longa, um garoto e sua irmã são mandados pela mãe para visitar seus avós, que moram em uma remota fazenda. Mas os pequenos logo percebem que os idosos estão envolvidos em coisas perturbadoras.

“É um encontro entre suspense claustrofóbico e drama familiar muito inteligente, e estimulante na sugestão do mistério e do conflito entre o sobrenatural vs. realidade”, pontua Rafael.

Discutindo a questão da sexualidade de forma sensível está “Com Amor, Simon” (2018), de Greg Berlanti. Aos 17 anos, Simon Spier aparentemente leva uma vida comum, mas sofre por esconder um grande segredo: nunca revelou ser gay para sua família e amigos.

“É o típico filme ‘Sessão da Tarde’, para se assistir com a família, aborda a homossexualidade de um adolescente de forma leve e casual”, descreve Lucas.

Para quem é de comédia, “Vizinhos” (2014), de Nicholas Stoller, pode ser uma boa pedida na quarentena. Com Seth Rogen, Rose Byrne e Zac Efron no elenco, o filme mostra uma relação conturbada de vizinhos que logo após a mudança, descobrem que o novo endereço não é tão perfeito assim.

“É uma comédia de tiradas anarquistas, que sabe trabalhar muito bem com o timing do humor e consegue fazer rir sem grandes dificuldades”, diz Rafael.

Também na pegada dos filmes para ver com a família está “Homem-Aranha no Aranhaverso” (2019). A animação acompanha Miles Morales, um jovem negro do Brooklyn que se tornou Homem-Aranha inspirado no legado de Peter Parker, já falecido.

“É uma releitura da história do super herói já conhecido, só que dessa vez, além de um visual extremamente perfeito e uma trilha sonora incrível, o filme traz, também, uma representatividade diferente do que estamos acostumados a ver em outros filmes do Homem-Aranha. Tocante e belo”, pontua Lucas.

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA