Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Festival In-Edit abre edição 2021 nesta quarta-feira, com documentários, debates e shows

O festival conta com a exibição de mais de 50 filmes nacionais e internacionais inéditos no circuito comercial

Redação Integrada

O festival em que a música encontra o cinema abre sua edição de 2021 novamente em formato virtual. O In-Edit Brasil - Festival Internacional do Documentário Musical inicia nesta quarta-feira, 16, e segue até 27 de junho, com a exibição de mais de 50 filmes nacionais e internacionais inéditos no circuito comercial.

O grande homenageado do In-Edit este ano é o diretor D.A. Pennebacker, considerado um dos maiores nomes do documentário mundial de todos os tempos, e um dos pioneiros do “Cinema Direto". O festival apresenta dois clássicos da fase musical do cineasta: “Dont Look Back” (1967), sobre a turnê inglesa de Bob Dylan; e "Monterey Pop” (1968), sobre o evento que inaugurou a era dos grandes festivais de rock; além de curtas metragens pouco conhecidos do diretor. Completando a homenagem, o In-Edit convida a premiada diretora Chris Hegedus, sua viúva e parceira artística, para um bate-papo virtual sobre a carreira e obra do diretor, que ocorre na sexta-feira, 18/6, às 20h.

Mesmo com a crise no setor, agravada pela pandemia de covid-19, o festival celebra mais um ano com uma notável safra de documentários musicais no Panorama Brasileiro. Os filmes apresentam grandes personalidades da música brasileira, como João Ricardo, em "Secos & Molhados"; Jair Rodrigues, em "Deixa que Digam";  Luiz Melodia, em "Todas as Melodias"; e Alzira E, em "Aquilo Que Eu Nunca Perdi". Em "Toada para José Siqueira", uma homenagem ao revolucionário maestro e compositor brasileiro. Também aparecem nas produções o rapper Speedfreaks, a banda Made In Brazil, o violonista Yamandu Costa, além de Marcelo D2, Mano Brown, Karol Conká representando o hip hop nacional.

Secos & Molhados Trailer from In-Edit-Brasil on Vimeo.

Na mostra Panorama Mundial, o festival traz 22 títulos inéditos, sobre artistas contemporâneos e que marcaram a música internacional das últimas décadas. Entre os nomes que o público vai encontrar nestas produções estão: a banda dinamarquesa Lukas Graham; a pioneira do rock Suzi Quatro; o DJ MOBY;  o cantor Phil Lynott, da banda Thin Lizzy; a banda inglesa IDLES; o cantor Shane MacGowan, vocalista da banda The Pogues; e a banda pop The Go-go’s, que entrou para a história da música como a primeira, e até hoje a única banda formada só por mulheres a chegar ao 1º lugar nas paradas de álbuns mais vendidos da lista da  Billboard.

Ainda no catálogo do In-Edit 2021, documentários se debruçam sobre histórias como a do Synthwave, em “The Rise of the Synths”, de Iván Castell. Trata-se de uma corrente eletrônica underground inspirada em certas trilhas sonoras do cinema americano dos anos 80. “Rockfield, a Fazenda do Rock” (Hannah Berryman) também está no festival, contando a história da fazenda por onde passaram Ozzy Osbourne, Oasis, Queen, entre outros. Tem ainda o documentário “Contradict” (Peter Guyer e Thomas Burkhalter), sobre um grupo de jovens músicos de Gana, que se reúne para compor e produzir, misturando o Hip-Hop, a música eletrônica, o dub e o pop.

O festival tem ainda mais dois filmes sobre a cultura musical africana: “The Rumba Kings”, de Alan Brain, fala da rumba, parte da identidade cultural do Congo, assim como sua criação e evolução se misturam com a história de seu povo; já “TOPOWA! Never Give Up”, de Inigo Gilmore e Philip Sansom, mostra doze jovens professores integrantes do projeto Brass For Africa em Katwe, no subúrbio de Kampala, capital de Uganda, que além de educar as crianças da comunidade, tem sua própria banda.

O In-Edit também conta a história das pioneiras da música eletroacústica, em “Sisters with Transistors”, de Lisa Rovner. O filme aborda a forte presença feminina na música eletroacústica, reunindo mulheres pioneiras que deram outra dimensão para a música em diferentes momentos da história.

Debates

A Programação Paralela promove debates gratuitos com nomes como Chris Hegedus, o diretor canadense Sam Dunn, assim como todos os diretores e diretoras dos longas participantes da Competição Nacional e da Mostra Brasil. a programação traz ainda convidados especiais, como o cantor e compositor Nasi, vocalista da banda Ira! e protagonista do documentário “Você Não Sabe Quem Eu Sou”, que será lançado nacionalmente durante o festival.

Para finalizar, o cineasta Marcelo Machado, diretor de "Tropicália'', "Com a Palavra, Arnaldo Antunes” e "O Piano que Conversa", ministra uma master class sobre as diferentes vertentes do documentário musical.

O festival também apresenta shows inéditos, concebidos em diálogo com os filmes da programação, com artistas como Alzira E, DJ Hum, João Ricardo, a banda Made in Brazil, o grupo Gritando HC, além de homenagens musicais ao maestro e José Siqueira e ao rapper Speedfreaks.

promo_ALZIRA_E_1M_IN_EDIT.mp4 from In-Edit-Brasil on Vimeo.

Todos os filmes da mostra Panorama Brasileiro, os debates e os shows terão acesso gratuito por meio do site, plataforma e das redes sociais do festival. O acesso aos filmes da mostra Panorama Mundial terão custo simbólico de R$ 3. Toda a receita arrecadada será revertida em prol de projetos sociais de amparo a pessoas especialmente afetadas pela pandemia. O evento alcança todo território nacional, e toda a programação fica disponível no site e na plataforma do festival: in-edit-brasil.com e br.in-edit.tv.

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM CINEMA

MAIS LIDAS EM CULTURA