Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Rafael Jaques é o 12° técnico do Remo desde a volta à Série C

Carlos Ferreira

De 2016 a 2019, Leston Junior, Marcelo Veiga, Waldemar Lemos, Josué Teixeira, Oliveira Canindé, Léo Goiano, Ney da Mata, Givanildo Oliveira, Netão, Márcio Fernandes, Eudes Pedro e agora Rafael Jaques. Lista dos 12 técnicos do Remo na era pós Cacaio. Os perfis são os mais variados. Quatro temporadas sem o Leão chegar sequer ao mata-mata e ainda ter corrido um seríssimo risco de rebaixamento.

Rafael Jaques vem como técnico-revelação  do futebol gaúcho, com ótimo trabalho na base e no profissional do São José. Vai trabalhar sob uma pressão que só conheceu nos tempos de jogador, como artilheiro que era. O Remo, para ele, é a oportunidade de projeção no mercado, assim como ele é para o Leão a esperança de recondução à Série B. Como nao poderia deixar de ser, um casamento por interesses. Salutares interesses!

 

Thomas Bastos, talento ou chinelo?

Em quatro meses no Papão, Tomas Bastos fez dez jogos (só três integrais) e desfalcou o time em outros cinco. Marcou cinco gols e deu algumas assistências. Empolgou com o seu talento nos primeiros jogos e entrou numa sucessão de lesões. Esse tocantinense de 27 anos deve ser lembrado pelo talento já mostrado ou pelo chinelo, com que tanto frequentou o departamento médico?

O Paysandu tanto acredita na honradez do atleta que está fazendo de tudo para renovar o contrato. Afinal, depois das férias e da pré-temporada, ele terá tudo para voltar à plenitude e ser a peça decisiva que o clube espera dele.

 

BAIXINHAS

* Segundo Hélio dos Anjos, o meia Tomas Bastos é o jogador com mais força física no Paysandu, além de todo o talento. Embora seja natural de Araguaína-TO, é fruto das categorias de base do Atlético-PR com passagens pelo Botafogo-RJ, Ceará, Coritiba, Atlético-GO e Al Hamryah dos Emirados Árabes.

* Rafael Jaques foi centroavante e teve rodagem internacional. Pendurou as chuteiras em 2010 com a camisa do Sampaio Corrêa. Na despedida, sábado, foi homenageado pelo São José. Sob o comando dele, o "Zequinha" teve 53 vitórias, 27 empates, 26 derrotas, três títulos em copas gaúchas e o acesso à Série C.

* Contratado pelo Remo, Xaves, volante, maranhense, 33 anos, destaque do Imperatriz na última Série C, é Clennyson Silva do Nascimento. Foi formado nas bases do Atlético Paranaense e do Paraná Clube. É indicação do técnico Rafael Jaques, tal como o lateral esquerdo Dudu Mandai, ex-São José.

* Família do árbitro-assistente Rafael Bastos Cardoso já tem a identificação de cinco dos seus agressores no jogo Paysandu x Carajás, sub 20, logo após ter indicado um pênalti contra o Papão. O pai, Ivanildo Cardoso, está acionando advogado para processá-los sob acusação de tentativa de homicídio. A violência foi brutal.

* Carajás está na reta decisiva do campeonato sub 20, depois de ter desistido de decidir o título do sub 17 com a Desportiva (WxO). Ano passado foi campeão sub 17 e vice sub 20. Este ano, fez bom papel na Copa SP, eliminou o Atlético Mineiro da Copa do Brasil sub 17 e subiu à elite do Parazão como vice da Segundinha. Inegavelmente, vitorioso!

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS