Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Para 2020, atacante do Paysandu tem chance de virar ídolo e Remo tenta definir teto salarial

Carlos Ferreira

Nicolas, mais uma temporada para emplacar como ídolo

Depois de Vandick, Robgol, Yarlei e Sandro Goiano, do grupo Campeão dos Campeões, e de Yago Pikachu e Emerson, ícones de uma fase não tão gloriosa, o Paysandu ficou sem ídolo. Bergson e Cassiano foram xodós, como hoje é o caso de Nicolas.

Talvez a possibilidade de emplacar como ídolo tenha pesado em Nicolas na decisão de ficar mais uma temporada. Ele nunca viveu essa experiência antes, até porque ainda não havia jogado em nenhum clube de massa. Está curtindo tanto que aceitou a proposta para novo contrato com o Papão, mesmo tendo tentadoras propostas de clubes da Série B. Atitude de quem sabe o que quer e tem os pés no chão. Nicolas, gaúcho, 30 anos, é bom jogador e melhor ainda na conduta profissional. Além de ser o principal artilheiro, com 11 gols, é quem mais jogou pelo Papão na temporada: 39 jogos. Merece o carinho que tem dos bicolores!

 

Leão: R$ 300 mil ou 400 mil?

O presidente Fábio Bentes disse à coluna que o teto da folha salarial do Remo para o campeonato estadual seria R$ 300 mil. O executivo Carlos Kila já fala em R$ 400 mil. Certamente, Kila convenceu Bentes a elevar o nível orçamentário, mas fala em poucas importações. A relação dos números com as palavras leva à ideia de que o Remo planeja o elenco com 10 a 12 atletas do grupo de 2019, umas três contratações regionais (já tem Lukinha, ex-Bragantino), 8 a 10 garotos da base e as tais importações pontuais. Se isso, aplausos para a intenção e apreensão pelo que virá.

 

BAIXINHAS

* Se o Flamengo não perder para o Botafogo, hoje, supera o Paysandu na invencibilidade. Ambos estão sem perder há 21 jogos oficiais, sendo que o Mengão tem apenas três empates e o Papão tem quinze. Ambas as trajetórias são integralmente de dois técnicos abençoados: Jorge, que é de Jesus, e Hélio, que é dos Anjos.

* Carlos Kila esteve no Souza, hoje, observando Remo x Tuna no campeonato sub 20. Em campo, no time azulino, o volante Pingo e o atacante Hélio Borges - que já jogaram no time profissional -, o goleiro Vitor, o zagueiro Anderson, o lateral Felipe, o volante Varlei, os meias Wenderson e Thiago Albuquerque, e o atacante Wallace, que estão subindo.

* Alertado pelo Caso Rony, do Remo, o Paysandu tratou de vincular as revelações Kerve, Yuri, Bruce, Marco Antônio e Flávio com contrato de profissional. Afinal, quando os meninos aparecem, viram alvos dos "gaviões" de plantão.

* Caso Rony deve ter decisão da Justiça Trabalhista na próxima terça-feira, com rescisão ou continuidade do contrato. Atleta teria assinado com dois empresários ao mesmo tempo. Se isso for confirmado, Rony pode se complicar nessa disputa jurídica.

* Artilharia da Segundinha: Felipe, do Izabelense, lidera com 5 gols. Leandro Cearense, do Cametá, tem 4. Felipe começando a carreira e Leandro tentando recomeçar.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS