Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

O pesadelo do Paysandu e o que o Remo fez para trazer Jacques

Carlos Ferreira

Papão revive dois horrores e perde a Copa

Tal como na decisão do acesso à Série B, este ano, contra o Nautico, o Paysandu tomou gol no último minuto e deixou a glória escapar. Tal como na decisão em pênaltis da primeira Copa Verde, em 2014, o Papão teve o título na última cobrança da primeira série e perdeu. Cuiabá campeão! Desta vez, a oportunidade mais preciosa teve presepada de Caíque Oliveira, com lenta caminhada, parada, recuo e chute para fora.

O Papão perdeu o título, a invencibilidade e a rica cota da próxima Copa do Brasil. O que é pior, o clube fica por conta da atualização do ranking da CBF para entrar (ou não) na Copa do Brasil 2020. Noite de dor para o Paysandu e de euforia para o Cuiabá.

 

O que fez o Remo para contratar Rafael Jacques?

Quando dirigiu o São José contra o Remo, no Mangueirão, Rafael Jacques se impressionou com 25 mil torcedores no estádio. A torcida despertou nela a vontade de trabalhar no Leão Azul. Quando o Remo negociou a contratação do executivo de futebol, ouviu de Jorge Macedo e de Carlos Kila que Rafael Jacques era o preferido, e ambos deram as mesmas referências do técnico. A partir disso, o interesse foi mutuo e a contratação foi rápida.

Em dois anos à frente do time profissional do São José, Rafael Jacques conquistou três títulos e o acesso de D para C no Campeonato Brasileiro. Agora está decidindo a Copa da Federação Gaúcha com o Pelotas e perdeu o primeiro jogo, em Pelotas, por 2 x 0. Jacques vem como técnico revelação do futebol gaúcho, com o desafio de se projetar dando glórias ao clube paraense.

 

BAIXINHAS

* O que esta coluna vem afirmando há duas semanas foi confirmado ontem pelo São José/RS. O técnico Rafael Jacques está contratado pelo Remo e se despede sábado do clube gaúcho. Jacques tem 44 anos e o Leão Azul será o seu segundo clube como técnico. 

* Graças ao erro grosseiro do árbitro Leandro Vuaden, em prejuízo do Paysandu, o Náutico levou a vaga na Série B. Mas não conseguiu tirar do Papão o artilheiro Nicolas. Por isso, agora o Bicola namora Kieza do Fortaleza e Ortigoza do Guarani do Paraguai.

* Caso Rony deve ser decidido pela Justiça três dias depois da reativação do futebol remista. O Remo recomeça dia 9 de dezembro. No dia 12 a nova audiência da questão no TRT. Como o clube provou que fez os pagamentos de pendências salariais antes de ser notificado da ação, passou a ter grande possibilidade de êxito.

* Um jogador do Flamengo, que estará na decisão da Libertadores, participou de um Re-Pa festivo. Quem é ele? Jogou pelo Leão ou pelo Papão? Você vai saber amanhã, aqui na coluna.

* Com o Carajás de volta e o Itupiranga debutando, o Parazão 2020 deverá ter novo formato aprovado pelos clubes dias depois do fechamento da Segundinha. A Funtelpa já deu "ok" para nove rodadas na fase classificatória (só ida), todos contra todos. Classificam-se quatro. Semifinais e finais em ida e volta.

* Parazão 2020 terá boa abrangência geográfica: Remo, Paysandu e Carajás da região metropolitana; Castanhal, Paragominas e Bragantino da região nordeste, Itupiranga, Independente e Águia da região sudeste e o Tapajós da região oeste.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS