Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Gols: Re-Pa tem incrível empate em 961 x 961

Carlos Ferreira

Acredite! Nos 759 jogos, em 106 anos, o Re-Pa acusa empate nos gols: 961 x 961, conforme os dados do pesquisador Ferreira da Costa. No entanto, o Remo tem 26 vitórias a mais. São 264 do Leão, 238 do Papão e 257 empates, desde 1914. Recortando esses dados só para a história do clássico no Campeonato Paraense, são 352 jogos,

124 vitórias azulinas, 106 vitórias bicolores e 122 empates. 416 gols do Leão e 412 do Papão.

As estatísticas contam a história com a frieza dos números. Mas a história do Re-Pa é essencialmente de rivalidade, emoções, de glórias, de frustrações, de heróis e de vilões. Hoje não vai ser diferente!

Parazão é um estágio e Re-Pa o melhor parâmetro

Protagonistas no Parazão e favoritos na disputa pelo título, Remo e Paysandu fazem do campeonato estadual uma etapa no projeto da temporada, que tem foco no campeonato brasileiro. Neste estágio, o parâmetros das avaliações é o Re-Pa. É o jogo que melhor mensura a capacidade emocional e o poder de superação do atletas, mesmo sem público no estádio.

Hoje, no calor do clássico, saberemos quem é quem nesse cenário de tantos estreantes. O Re-Pa vai medir também o potencial coletivo das equipes para a segunda fase da Copa do Brasil, dia 13, nos jogos de R$ 1,7 milhão, contra CRB e CSA.

BAIXINHAS

* Ídolo da nação remista, Paulo Bonamigo tem este Parazão como oportunidade para ser campeão pelo Remo. Ele ainda não tem título pelo Leão, mas já foi campeão maranhense pelo Sampaio Corrêa, paranaense pelo Coritiba, cearense pelo Fortaleza.

* Itamar Shulle tem quatro títulos estaduais no currículo: campeão paranaense com o Operário de Ponta Grossa, campeão paraibano com o Botafogo e bicampeão matogrossense com o Cuiabá.

* O bicolor Elyeser, de Abaetetuba, e o azulino Lucas Tocantins, de São Geraldo do Araguaia, são dois paraenses com carreiras construídas lá fora, que só agora estão no futebol do Pará. Eles serão personagens à parte no Re-Pa, jogando para seus clubes e para os familiares.

* Outros paraenses do Re-Pa: Marlon, Dioguinho e Gabriel Lima no Leão, e Perema no Papão. Possibilidades também para o azulino Wallace e para os bicolores Yan, Jonathan e Diego Matos.

* O Re-Pa de hoje é na Curuzu porque o Paysandu é o atual campeão estadual. Ao longo desta temporada, revezamento entre Curuzu e Baenão, caso tenhamos novos Re-Pas no campeonato estadual ou na Copa Verde.

* Para 2022, o critério será mantido. O campeão parense deste ano será mandante no primeiro Re-Pa do próximo campeonato estadual. Arena Mangueirão só no segundo semestre de 2022, com 53 mil lugares, no campeonato brasileiro, se as obras fluírem dentro do cronograma. 

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CARLOS FERREIRA