Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Empatados, Remo e Paysandu disputam o quinto acesso

Carlos Ferreira

O Leão Azul conquistou o primeiro acesso no Campeonato Brasileiro em 1989, e outros três em 1992, em 2005 e em 2015. O primeiro do Papão foi em 1991, e mais três em 2001, 2012 e 2018. Empatados, os dois disputam o quinto acesso e podem subir juntos, o que seria inédito.

O Paysandu subiu duas vezes à Serie B e duas à Série A. O Remo teve duas subidas à Serie B, uma à Série C e uma à Serie A. Nessa disputa com Ypiranga e Londrina, a dupla Re-Pa mostrou superioridade nas quatro rodadas desta fase. Os números são a fiel tradução. A missão, agora, é a confirmar a força com o duplo acesso, embora ainda haja risco de nenhum dos dois subir. Isso ocorreria se houver empate no Re-Pa, o Ypiranga ganhar os dois jogos e o Londrina ganhar do Remo e superar os dois paraenses nos critérios de desempate. Combinação improvável, mas a hipótese não pode ser ignorada.

O que interessa a Ypiranga e Londrina no Re-Pa?

O Ypiranga vai torcer por vitória do Remo ou empate. Assim, desde que vença o Londrina, em Londrina, o time gaúcho só dependeria de vitória sobre o Papão, em Erechim, para subir. O Londrina deve torcer por vitória do Paysandu. Assim, até empatando em casa com o Ypiranga, dependeria de uma vitória sobre o Remo para conquistar o acesso. Com empate no Re-Pa, o Londrina poderia jogar pelo empate em Belém, caso ganhe do Ypiranga neste domingo.

As hipóteses são diversas e todas as esperanças estão acesas, com maiores possibilidades para os dois clubes paraenses.

BAIXINHAS

* Heróis dos quatro acessos do Remo: Thiago, autor dos dois gols na vitória de 2 x 0 sobre o Fortaleza, no Baenão, em 1989. Lamartine e Formiga, na vitória sobre o Itaperuna, por 2 x 1, em Niterói, em 1992. Maurílio e Capitão, no jogo do título e do acesso: 2 x 1 sobre o Novo Hamburgo, em Novo Hamburgo, em 2005. Eduardo Ramos, Whelton, Aleílson na vitória por 3 x 1 sobre o Operário/PR, em 2015.

* Heróis do Papão: Edgar, pelo gol da vitória sobre o Americano, 1 x 0, que provocou decisão de vaga nos "pênaltis", em 1991.
Gino, Zé Augusto, Vandick (2) na goleada de 4 x 0 no Avaí, que valeu acesso e título em 2001. Pikachu e Vânderson na derrota para o Macaé (2 x 3) em 2012, placar que deu a vaga ao Papão. Ruan, pelo gol da vitória (1 × 0) sobre o Tupy, em Juiz de Fora, em 2014.

* O Re-Pa, domingo, deve fazer novo ou novos heróis. Nomes para a história! Mas os atletas devem estar mais ligados no que ocorreu ao bicolor Serginho no clássico passado, quando virou vilão ao ser expulso. Afinal, ser vilão num Re-Pa que decide acesso à Série B é fechamento de portas.

* Convenhamos, Nicolas e Salatiel, como finalizadores, são os principais candidatos às honras de herói. Em segundo plano, também são favoritos os goleiros Vinícius e Paulo Ricardo.

* Câmera exclusiva para vigilância à arbitragem, a serviço do Paysandu, não deve interferir em nada nas decisões de Hilton Pereira Sampaio. Um árbitro cotadíssimo para a próxima Copa do Mundo não poderia jamais se deixar intimidar, se é que é essa a intenção.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CARLOS FERREIRA