Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Dupla Re-Pa mantém 50% dos jogadores e Paysandu é maioria na seleção da temporada 2019

Carlos Ferreira

Bicolores são maioria entre os Melhores do Ano

Vinícius; Rafael Jensen, Fredson, Perema, Bruno Collaço; Yuri, Uchôa, Tomas Bastos, Lukinha; Vinícius Leite e Nicolas. Técnico: Hélio dos Anjos, craque: Nicolas, revelação: Lukinha. Esses são os Melhores do Ano, eleitos por jornalistas do Grupo Liberal, em votos publicados nas duas últimas semana aqui na coluna.

 A seleção tem seis jogadores do Paysandu, quatro do Remo e um do Bragantino. Também são bicolores o técnico e o craque do ano, enquanto a principal revelação ganhou destaque no Tubarão do Caeté e agora é do Leão Azul. Nícolas foi a única unanimidade. Levou todos os votos na posição e como melhor jogador da temporada. Desbancou o azulino Vinícius, que teve a mesma glória em 2018 e 2019.

 

Reflexões sobre passado e futuro

Papão e Leão começaram 2019 com apenas 20% de atletas remanescentes. A ampla reforma de elenco forçou muitos remendos, com excesso de dispensas e de contratações ao longo da temporada. Isso implicou em instabilidade e ano inglório. O Remo, pelo menos, festejou o título estadual. Embora sem título, o Bragantino, com base regional, foi o time mais glorioso. Fez bom papel na Série D, sucesso no Parazão e mais sucesso ainda na Copa do Brasil. O Tubarão foi o time do ano!

Para 2020, os dois principais clubes do Pará repetem cerca de 50% dos atletas. Essa base adianta os processos e dá boas perspectivas, em que pese a desconfiança natural das duas torcidas.

 

BAIXINHAS

Em dez jogos, Tomas Bastos fez cinco gols e preciosas assistências. Foi o maior talento do futebol paraense em 2019, mas saiu taxado de "chinelinho", pelas seguidas lesões. Bem que o Papão tentou mantê-lo, mas ele preferiu sair e foi para o Operário-PR.

Quem diria...! O melhor lateral direito da temporada foi um "quebra galho" na posição. O remista Rafael Jensen jogou em todas as posições da zaga e, assim mesmo, entrou na seleção do ano, superando Tony (Paysandu), Daelson (Independente) e Bruno Limão (Bragantino) que também foram votados.

Uchôa já chegou lesionado e enfrentou as dores para mostrar o seu valor. Ganhou admiração e garantiu espaço no Papão. Tanto que volta em janeiro, embora só possa jogar a partir de abril.

Natural de Paragominas, 22 anos, destacado como melhor de 2019 na sua posição, Lukinha deu um salto ao ser contratado pelo Remo. Ele e o santareno Perema são os únicos paraenses na seleção do ano.

Ascensão do Itupiranga à elite é o que há de mais novo e significativo para o Parazão 2020. O campeonato ganha a energia de uma cidade empolgada com o seu time. Afinal, o Crocodilho já tem um título (Segundinha) e ainda não sofreu uma única derrota como time profissional. A estreia será contra o Paysandu, dia 20 de janeiro, na Curuzu.

Férias para o colunista. Trinta dias em recesso. Nos reencontramos no dia 14 de janeiro.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!