Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Diretoria de futebol do Remo ganha encontro de gerações

Carlos Ferreira

Três gerações de dirigentes se juntam no Leão

Os jovens Yan Oliveira (28 anos), Dirson Neto (38) e Paulo Mota Filho (38), que dirigiram o futebol do Remo em 2019, ganham a companhia de Milton Campos (45) e Antônio Carlos Teixeira (60). Assim, unem-se três gerações de dirigentes no futebol remista. Dirson é auditor do TCM e todos os outros são advogados.

Vivência de um, operosidade de outro e a dinâmica dos demais, sob a liderança do presidente Fábio Bentes. Em trabalho conjunto eles podem trocar o que têm de melhor para decisões maduras, comando efetivo e credibilidade no comando do futebol azulino. O quinteto parece promissor, na desafiadora missão de fazer o Leão voltar a rugir como nas suas melhores épocas.

 

"Rasteira dos Aflitos": só a vítima foi punida

Depois do erro gravíssimo que eliminou o Paysandu e classificou o Náutico para a próxima Série B, na "Rasteira dos Aflitos", o árbitro Leandro Vuaden apitou América Mineiro 2 x 0 Bragantino na Série B, Botafogo 2 x 1 CSA e Ceará 2 x 0 Fluminense na Série A. Enquanto o vilão segue em cartaz, o Papão completa um mês sem jogo oficial, se preparando para decidir a Copa Verde nos próximos dias 14 e 20.

Em consequência da lambança de Vuaden, o Paysandu contabiliza um prejuízo em torno de R$ 15 milhões, considerando apenas o que deixa de faturar em 2020. O árbitro teve alguns dias de pressão e vive agora um desconforto. Nada que o tempo não resolva. Afinal, assim como a bola, a vida segue rolando e produzindo novas histórias, dolorosas ou gloriosas.

 

BAIXINHAS

* Alguns atacantes chegaram a Belém sob reprovação por poucos gols marcados nos clubes anteriores, mas deram certo, como Nicolas e Hygor no Paysandu. O paraense Elielton também chegou com números baixos e no Papão só fez gol no seu 23° jogo, o amistoso contra a Tuna. Contudo, é útil e deve ficar para 2020.

* Questão central no Remo agora é a contratação do técnico. A opção vai dizer muito das intenções do clube para a próxima temporada. Se o Remo será arrojado ou comedido, se terá base regional ou importada, se pisa no freio ou no acelerador.

* Contando com os garotos da base, o Papão já tem para 2020 os goleiros Paulo Ricardo e Afonso, zagueiros Micael, Perema e Kerve Ceará, laterais Bruno Collaço e Diego Matos, meiocampistas Tiago Luís, Willyam, Lucas Giovanni, Bruce, Yure, Alan Calbergue e Marco Antônio, atacantes Nicolas, Flávio, Vinícius Leite e Aslen.

* Estão negociando renovação: Giovanni, Victor Oliveira, Anderson Uchôa, Wellington Reis, Tomas Bastos, Thiago Primão e Elielton. Dúvidas sobre o lateral Tony, que tem sido discreto, mas dando conta do recado. Incerteza também sobre Bruno Oliveira, Caíque Oliveira e Leandro Lima.

* Bragantino mantém para 2020 os meias Marco Goiano e Wendel. E está importando dois atacantes do nordeste: Canga, ex-Floresta/CE, e Jandson Chiclete, ex-Globo e ABC/RN. Na comissão técnica, mantém o comandante Robson Melo, que terá Cacaio como auxiliar. Nicolau Barros será o preparador físico.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS