Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Copa Verde e suas perigosas facilidades

Carlos Ferreira

O Remo, hoje, contra o Gama, e o Paysandu, amanhã, contra o Galvez. Mesmo em período tumultuado, Leão e Papão têm autoridade de favoritos. Porém, vale o alerta de que esta Copa Verde começa com perigosas facilidades para a dupla Re-Pa.

O Leão recebe um Gama em profunda reforma de elenco. O time do Distrito Federal está animado pela vitória sobre o Santos/AP, mas é um grupo novo que está na terceira semana de treinamentos. O Remo, mesmo se recompondo do surto de Covid e da surra que tomou do Vila Nova, é o time mais credenciado para avançar e enfrentar Rio Branco ou Independente/Tucuruí, que também jogam hoje.

O Papão é um enigma. Sob comando interino, com vários jogadores se despedindo do clube, o time bicolor tanto pode atropelar como ser atropelado. Desde que se imponha diante das limitações do Galvez, o Paysandu é o favorito para a classificar e enfrentar o Manaus na próxima fase.

Perema, o único com título da CV

Nos elencos de Paysandu, Remo e Independente, um único jogador tem no currículo o título da Copa Verde: Perema, do Paysandu, em 2018. O Pará, no entanto, foi finalista em todas as edições, campeão com o Paysandu em 2016 e 2018, vice com o Papão em 2014, 2017 e 2019, e com o Remo em 2015.

O Mato Grosso lidera o ranking da Copa Verde com três títulos: dois com o Cuiabá e um com o Luverdense. Mas o maior pontuador é o Paysandu. Em 45 jogos, 97 pontos, 71,8% de aproveitamento.

BAIXINHAS

* A Copa Verde tornou-se uma mera competição de acesso. A cada ano tem menos apelo. Nem ações de sustentabilidade foram capazes de levantar a CV junto a patrocinadores. Segue a pobreza!

* A CBF vinha premiando o campeão com acesso à 5a fase da Copa do Brasil (cota de R$ 2,5 milhões), mas, nos ajustes pela pandemia, desta vez será na terceira fase da CB e cerca de 1,5 milhão. Apertos e apertos, como se não bastasse a falta de bilheteria.

* As fases semifinal e final da CV sempre foram muito lucrativas para Remo e Paysandu. Com pandemia, nem isso! A rigor, esta Copa Verde vai valer muito para avaliações, visto que os dois times entram em fase de transição e que em um mês já começa o Parazão 2021.

* Hoje e amanhã, às 16 horas, azulinos e bicolores terão as transmissões da TV Cultura para avaliar e torcer. Mais uma vez, a TV Cultura atende a Rede Brasil de Televisão mostrando a Copa Verde para todo o país.

* Regulamento da Copa Verde vem diferente nesta edição. A atual fase tem jogo único. Em caso de empate, decisão nos "pênaltis". A partir da próxima fase, "mata mata", ida e volta, até a decisão do título, no dia 24 de fevereiro.

* Festejadíssimo no Remo, Bonamigo ainda não tem título no Leão. Copa Verde é a nova oportunidade, mas começa para o Leão com João Neto na interinidade, enquanto Bonamigo se recupera da Covid.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CARLOS FERREIRA