Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Campeonato Paraense nunca obedeceu tanto o provérbio do futebol: 'Caixinha de surpresas'

Carlos Ferreira

Um campeonato fadado a negar expectativas 

Na primeira rodada, o atacante Cuadrado, do Itupiranga, foi o "cara"! E a torcida do Paysandu se empolgou com Alex Maranhão. O Tapajós fez o Remo penar. O Leão ganhou com gol "chorado" no último minuto. Hoje, na semana do recomeço do campeonato, Cuadrado e Alex Maranhão nem são mais lembrados nos noticiários e o Tapajós dá graças a Deus pelo cancelamento do rebaixamento. Dos que brilharam na primeira rodada, só os artilheiros Pecel, do Castanhal, e Nicolas, do Paysandu, seguiram confirmando o valor. 

Depois da interrupção por quatro meses e meio, esse campeonato, tão fadado a negar expectativas, volta com mais surpresas engatilhadas. Podem esperar...!

 

O cenário pós-quarentena 

Na semana das reestreias, o Remo funciona com peças novas na defesa, no meio de campo e no ataque. Foi o clube mais arrojado em se fortalecer. O Paysandu tem a força do conjunto e a obstinação de todos pela conquista do título estadual. Mas os dois favoritos terão sérios problemas pela simultaneidade da reta final do Parazão com as primeiras rodadas da Série C, enquanto os semifinalistas interioranos terão o devido repouso de jogo pra jogo e 100% de foco. Isso dá margem a diversas possibilidades.

Para as duas rodadas que vão fechar a fase classificatória, Papão e Leão só não estão à vontade porque têm a pressão interna por rendimento e resultado. Questão moral!

 

BAIXINHAS 

* Rei da Amazônia é a marca própria do Remo para a linha de roupas casuais. O primeiro lançamento será da camisa "várias faces do rei", com rostos de torcedores. Renda para investimento no novo sistema de iluminação do Baenão. 

* O Conselho Deliberativo decidiu que um percentual do lucro nesse primeiro momento da nova marca vai se destinar ao custeio do tratamento do idolo azulino Bira, que luta contra um câncer no fígado. Dignidade!

* Passados 106 anos, a homenagem dos fundadores do Paysandu à cidade uruguaia de Paysandú é ignorada pelo povo local. O clube paraense é conhecido, mas o fato de ter o mesmo nome da cidade é tratado como mera coincidência. A homenagem foi por uma vitória importante da Marinha Brasileira em batalha em Paysandú. Também por isso, o Papão tem as cores do Uruguai. 

* TV Cultura disponibiliza QR Code para os clubes faturarem em suas transmissões no Parazão. Torcedores poderão doar ao clube do coração 5, 10, 20, 50 ou 100 reais, apontando a câmera do celular para o QR Code na tela da TV. Bom e oportuno uso da tecnologia!

* Artur Oliveira garante que o Castanhal vai reaparecer em alta intensidade. O técnico fala com entusiasmo do estado físico em que os atletas se reapresentaram. Vejamos o Japiim na prática, sábado, diante do Tapajós. 

* Pleno do TJD julga hoje o recurso do Remo contra a suspensão de Fredson por quatro jogos. A cartada jurídica é pela redução da pena para um jogo, que o atleta já cumpriu.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!