Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

A noite em que o craque do Papão precisou dormir na Toca do Leão

Carlos Ferreira

Paulista, 66 anos, Roberto Bacuri é mais um que "chegou ao Pará, parou. Tomou açaí, ficou". Chegou em 1974, vindo do Operário de Campo Grande, contratado pelo Paysandu. Encerrou a carreira em 1981 e virou morador de Bragança, no nordeste do Pará, onde leva uma vida tranquila ao lado da dona Conceição, como pediu a Deus.

Roberto Bacuri (à esquerda e sendo abraçado à direita) esbanjava habilidade com a bola no pé no Paysandu (Arquivo)

Bacuri conta que antes de estrear no Papão fez um jogo pelo Escrete do Rádio, time da imprensa que se apresentava frequentemente no interior. O talentoso meia fez 78 gols e marcou época na Curuzu, formando um meio de campo vitorioso com Willy e Patrulheiro. Foi dessa época que ele tirou a sua Delação. Um episódio da noite em que precisou dormir no Baenão, junto com jogadores do Remo, na concentração da Seleção Paraense, para o jogo da inauguração oficial do Mangueirão. Assista abaixo!

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS