Bernardino Santos

Jornalista e colunista de O Liberal com 50 anos de profissão. Começou a carreira como repórter em O Liberal e também trabalhou em rádio e televisão.

Diferente, Sem beijo, Sermões, Tradições

Bernardino Santos

DIFERENTE

Nesta sexta-feira Santa especial, diferente, por causa da pandemia, único dia do ano em que não há missa, porque Jesus está morto, as sagradas celebrações ganharam novo contorno. Não haverá procissões e muito menos gente nas igrejas.

SEM BEIJO

O beijo na Cruz, cerimônia em que os fieis se aproximam de uma cruz e beijam a imagem do Crucificado, foi substituído pela segunda fórmula, prevista no Missal Romano, será substituída pela Adoração solene.

SERMÕES

Como não acontecerão procissões, o sermão do Encontro e o sermão do Descendimento da Cruz não serão realizados. Apenas o das Três Horas da Agonia, ou das Sete Palavras será proferido. O cônego Vladian silva Alves falará da capela do Colégio santo Antônio, acompanhado do Coral “Santa Cecília”, a portas fechadas. Tudo será mostrado pela televisão e pelas redes sociais.

TRADIÇÃO

Como faz todos os anos, a coluna gosta de relembrar, para os mais antigos, e mostrar, aos mais novos, hábitos já quase esquecidos da sexta-feira Santa, ou sextafeira da Paixão, tão cara ao católicos, e que não podem simplesmente desparecer.

PANO ROXO

No passado, as crianças tinham pavor, mas isso não era levado em conta, na hora de cobrir as imagens de santos, nas igrejas (e até nas residências que possuíam oratório) com um pano de cor roxa. Os santinhos só voltavam a ver a luz, no domingo da Páscoa.

SILÊNCIO

Na sexta-feira da Paixão, na época em que o rádio era o único veículo de comunicação, pouca gente ligava o aparelho. Se ligasse, era bem baixinho, apenas para ouvir pregações ou música sacra.

SEM VASSOURA

Nos lares onde as tradições eram preservadas, na sexta-feira Santa não se varria casa. Uma limpeza mais cuidadosa era feita na véspera.

NA COZINHA

Ao contrário do que muita gente pensa, a sexta-feira Santa não era o único dia de jejum e de abstinência de carne. Em todas as sextas da Quaresma muita gente só consumia peixe, numa espécie de penitência e de preparação para o grande jejum.

FERIADO?

Apenas para lembrar: sim, hoje é feriado nacional. Para a maioria da população, tem sido feriado todos os dias.

Maria Regina e Carlos Sampaio, amigos mais do que especiais, na cena cultural da cidade

Três pessoas muito queridas em Belém: Vânia e José Fragoso Rei e o cônego Ronaldo Menezes 

VITRINE

- A professora Lenora Menezes de Brito lembrou-se da bela imagem de Nossa Senhora das Dores, que os padres espanhóis levaram para a Igrejinha de São João e compôs, entre outras, esta quadrinha:

“Nossa senhora das Dores/ a quem minha mãe pedia...?/ Cuida das dores do mundo/Cuida que o mundo sorria!”

- Recluso, como todo mundo que tem juízo, o jornalista Tito Barata está reprisando algumas das entrevistas que fez para a série “Papo no Tucupi”, numa espécie de vale a pena ver de novo.

- No seu pontualíssimo “Vana Verba”, o “imortal” Avertano Rocha publica, esta semana, uma carta endereçada ao papa Francisco, na qual chama o santo padre de pai. Ela iria adorar ler esse documento.

- Avertno, aliás, “descobriu” as redes sociais e está gravando ótimos vídeos no face. Os mais recente fala da leitura dos sermões do padre Vieira.

- A querida amiga, juíza e excelente sonetista Sarah Rodrigues aniversariou ontem e ganhou homenagem de seus funcionários, na 6ª Vara Penal. Sarah é membro da APL e de várias instituições culturais.

- A advogada e professora Cristina Lourenço representará a região Norte no próximo dia 13, às 14 horas da *Webinar 5 regiões* para discutir como será a profissão jurídica, depois que a pandemia passar.

- Bom dia para a querida amiga Ana Angélica Melo Machado, leitora desta coluna, bem cedo, na hora do café da manhã.

- O coordenador da Diretoria da Festa de Nazaré, Albano Martins Jr., comemora o sucesso total da campanha de doação de cestas promovida pela instituição.

- O professor Ernani Chaves fala hoje, às 18 horas, sobre “Sexualidade, desejo e verdade: Foucault, leitor de Santo Agostinho”, na página de seu grupo de pesquisa, no Face. Desejo a todos uma sexta-feira Santa de paz e de recolhimento.

- Amanhã, sábado da Aleluia, novamente aqui, se Deus quiser e Nossa Senhora de Nazaré referendar.

Bernardino Santos
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!