Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Policial militar interrompe a cerimônia de seu casamento para perseguir criminosos; entenda

Bandidos em fuga trocaram tiros com uma viatura da PM na entrada do condomínio onde acontecia o casamento

Luciana Carvalho

Uma cena digna de um roteiro de um filme de ação aconteceu em um casamento no Rio de Janeiro no último dia 26 de março quando o tenente da policial militar, Rodrigo Prujansky, de 40 anos, interrompeu sua festa de casamento ao ouvir disparos de arma de fogo na entrada do salão de festas. Ele e alguns padrinhos seguiram na direção dos tiros para perseguir os criminosos. O objetivo era proteger a noiva e os convidados do casamento. As informações são do portal G1 Rio.

Nesse primeiro momento, apenas ele e alguns amigos que também trabalham na segurança pública perceberam algo de errado. Sua futura esposa, a funcionária pública Bruna Sant'anna, de 33 anos, seguia lendo seus votos, quando todos ouviram um barulho mais forte. Era a batida de um carro na entrada do condomínio.Após o susto, ela continuou declarando o seu amor. Porém, a paz durou apenas alguns segundos. Um novo som de tiro, dessa vez muito mais forte, foi a chave que ligou o sistema de alerta em todos os policiais que estavam presentes na cerimônia.

VEJA MAIS

Criminoso encapuzado abre fogo contra casal e mata mulher na Condor
Namorado da vítima conseguiu correr e escapar dos tiros; familiares o acusam de ser o verdadeiro alvo do atirador

Jovem morre e outro fica ferido após ataque a tiros em Parauapebas
Uma das vítimas seria testemunha de uma execução registrada em janeiro deste ano na cidade

Duas mulheres são mortas a tiros em bar no sudeste paraense
O suspeito de ter cometido o crime é o ex-marido de uma das vítimas

A partir desse instante, Prujansky e mais quatro colegas de farda, além de um policial rodoviário federal e um lutador de jiu-jitsu, formaram uma equipe de elite e imediatamente decidiram agir. A celebração foi interrompida e outros policiais que estavam na festa ajudaram os convidados a encontrar abrigos seguros para se protegerem dos tiros.

"Eu observo que o problema está lá fora, mas que está próximo. Eu pensei 'vou ao encontro desses caras antes que eles entrem no salão'. Os meus bens mais preciosos estão aqui. Eu decido ir na direção do problema. Mais da metade dos convidados eram do Batalhão de Choque e do Bope. A gente não pensou em ser herói. A gente queria proteger o local", contou Rodrigo Prujansky.

Os militares descobriram um carro batido próximo ao muro do condomínio onde acontecia a cerimônia. O veículo estava em fuga e os policiais de serviço informaram que dois homens haviam deixado o carro e trocaram tiros com eles. Os criminosos fugiram para o condomínio. Um dos bandidos foi baleado e morreu no local. Segundo a Polícia Militar, os criminosos que acabaram presos durante o casamento de Prujansky tinham acabado de roubar o carro e sequestrar um empresário na região.

Para a conclusão do roteiro de cinema, era importante um final feliz para aquele dia comum no Rio de Janeiro. E isso aconteceu. Trinta minutos depois dos tiros, lá estavam os noivos fazendo piada e rindo da situação.

(Luciana Carvalho, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política.)

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL