PF desmente morte de idosa em ginásio de manifestantes radicais presos

Os boatos do suposto óbito se espalhou pelas redes sociais através de uma foto de banco de imagens gratuito

Luciana Carvalho
fonte

Nesta segunda-feira (09), a Polícia Federal (PF) desmentiu a informação que repercutiu nas redes afirmando que uma idosa tinha morrido depois de ter sido detida no acampamento de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro no Quartel-General do Exército, em Brasília. As informações são do G1 DF.

Os boatos do suposto óbito se espalhou pelas redes sociais através de uma postagem feita com uma foto que está disponível em um banco de imagens gratuito.

Na manhã desta segunda (09), cerca de 1,2 mil pessoas foram retiradas do local e levadas ao ginásio da Academia Nacional da Polícia Federal, após a invasão cometida nas sedes dos três poderes, no úlltimo domingo (08).

VEJA MAIS

image Manifestantes são levados para ginásio da Polícia Federal em Brasília
Mais de mil que estavam acampados passaram por triagem ao longo da tarde

image Intervenção Federal: entenda o que significa a medida decretada por Lula
Presidente decretou intervenção federal no DF após atos de terrorismo de bolsonaristas extremistas

image Ataque foi o 'Capitólio brasileiro', mas sem mortes e com mais presos, diz Flávio Dino
Ministro da Justiça também disse que reunião entre líderes do Poderes ratificou a necessidade de aplicação da lei

"A Polícia Federal informa que é falsa a informação de que uma mulher idosa teria morrido na data de hoje (09) nas dependências da Academia Nacional de Polícia", diz a nota da corporação.

O interventor Paulo Cappelli, que assumiu a segurança pública no Distrito Federal após decreto do presidente Lula (PT), também negou a informação.

A noite, a deputada Bia Kicis (PL-DF) falou sobre o susposto ocorrido em discuso no plenário da Câmara dos Deputados.  Kicis chegou a dizer que o caso tinha sido confirmado pela Ordem dos Advogados do Brasil no DF (OAB-DF), mas já na madrugada desta terça disse através das redes sociais que cometeu um "equívoco".

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Elisa Vaz, repórter do Núcleo de Política).

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL