Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Número de homicídios no país é menor em dez anos, mas Amazônia vê alta

Especialistas veem uma estabilização da disputa entre facções, mas em alguns locais, como a região amazônica, há piora

O Liberal

O Brasil registrou 47.503 homicídios em 2021, o equivalente a 130 mortes por dia, segundo dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O número, divulgado nesta terça-feira (28), representa queda de 5,8% na comparação com 2020 e é o menor desde 2011. Especialistas veem uma estabilização da disputa entre facções, mas em alguns locais, como a Amazônia, há piora. As informações são da Agência Estado.

Por trás da queda nacional, também estão programas estaduais focados em prevenção e combate à violência. "As mortes caíram, o que é boa notícia", disse ao Estadão o diretor-presidente do Fórum, o sociólogo Renato Sérgio de Lima. "Mas comparando internacionalmente o número ainda é muito alto", ponderou.

VEJA MAIS

Fórum de Segurança mostra queda da violência em Belém, no Pará e no Brasil
Estado registra queda de quase 40% em casos de homicídios na comparação com 2018. No Brasil, redução foi de 17,5% no mesmo período. Belém cai no ranking de homicídios.

Brasil tem pelo menos sete estupros por hora; vítimas de até 14 anos são maioria
Crime tem alto nível de subnotificação, diante do constrangimento das vítimas em expor a agressão

O Brasil é líder na quantidade absoluta de mortes e está entre os dez países mais violentos do planeta, ressalta o Fórum. O Amapá se transformou no Estado mais violento, com uma taxa de 53,8 mortes violentas por 100 mil habitantes, alta de 30% no período. Bahia (44,9 por 100 mil) e Amazonas (39,1 por 100 mil) vêm logo atrás.

Entre os Estados mais seguros estão São Paulo (7,9 homicídios por 100 mil habitantes), Santa Catarina (10,1) e Distrito Federal (11,2). O Acre se destacou com o maior queda do período: 41,2% na comparação entre 2020 e 2021.

Em quase todas as regiões caiu o indicador de mortes violentas, que reúne dados de homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte, mortes provocadas pela polícia e latrocínio. A exceção foi a Região Norte, que chegou à taxa de 30,8 para 33,3 assassinatos por 100 mil habitantes. Para acessar os dados completos, confira na íntegra o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022 .

 

Indicadores

O Brasil contabilizou, ao todo, 66.020 estupros em 2021, uma alta de 4,9% em relação ao ano anterior (62.917 registros). Desse total, a violência sexual contra vítimas de até 14 anos é a maioria (45.994 casos).

Os crimes de estelionato dispararam no Brasil ao longo do último ano. Foram notificados 1.265.073 casos em 2021, alta de 36% na comparação com as 927.898 ocorrências do ano anterior. Quando é feito o recorte de golpes contabilizados especificamente por meios eletrônicos, o aumento é ainda maior: de 74,5%. O número de ocorrências desse tipo passou de 34.713 para 60.519. Em 2019, último ano pré-pandemia, haviam sido 14.677 casos.

O acesso a armas de fogo também disparou nos últimos anos. A quantidade de caçadores, atiradores esportivos e colecionadores chegou a 673 mil pessoas, ante 63 mil em 2017. O Ministério da Justiça e Segurança Pública não comentou os dados, assim como o Colégio Nacional de Secretários de Segurança.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL