Anvisa alerta sobre uso de produtos para trançar cabelo

Reações podem incluir cegueira temporária, lesão nos olhos, entre outras

Emilly Melo
fonte

Um alerta sobre o uso de produtos comercializados no Brasil para trançar e modelar os cabelos foi divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta semana. Segundo a Anvisa, esses produtos podem apresentar efeitos indesejáveis nos consumidores. Com informações da Anvisa.

VEJA MAIS

image Anvisa proíbe venda de macarrão com substância de matou animais de estimação
Apenas produtos fabricados entre julho e agosto podem estar contaminados

image Marca 'Häagen-Dazs' recolhe sorvetes por suspeitar presença de substância tóxica
O recolhimento dos produtos é resultado de uma investigação que começou em julho de 2022

image Anvisa recolhe fórmulas infantis com suspeita de contaminação por bactéria letal; veja quais
Medida acontece após quatro internações de bebês que consumiram produtos de lotes suspeitos

A agência cita que casos de cegueira temporária foram registrados após o uso dos produtos. O alerta cita também casos de ardência nos olhos, lacrimejamento intenso, coceira, vermelhidão, inchaço ocular e dor de cabeça. 

“Segundo diagnóstico médico, em um dos casos, o paciente apresentou lesão grave nos olhos. Há ainda relatos de demora na recuperação da visão de consumidores com prazos de até 15 dias”, alertou a Anvisa. 

 A Anvisa ressalta ser de fundamental importância que quaisquer efeitos indesejáveis à saúde supostamente relacionados ao uso desses produtos, e de outros cosméticos, sejam registrados. “Há links específicos para registro por parte de cidadãos e profissionais que manejam produtos cosméticos e empresas e profissionais de saúde”, explica o órgão.

No entanto, a Anvisa não associou nenhuma marca ou produto para trançar e modelar o cabelo com os relatos de efeitos adversos, potencialmente, graves

Efeito grave

Um efeito indesejável grave é uma reação adversa inesperada e prejudicial à saúde humana, que leva à incapacidade funcional temporária ou permanente, invalidez, hospitalização, anomalias congênitas, risco imediato à vida ou morte

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, coordenadora do Núcleo de Política)

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL