Manifestantes da Cabanagem liberam a Augusto Montenegro e devem levar protesto até a prefeitura

A via foi fechada em frente ao Departamento de Trânsito do Pará

Redação Integrada de O Liberal

Após três horas e e meia, manifestantes do bairro da Cabanagem liberaram a avenida Augusto Montenegro. Mas um dos organizadores do movimento adianta que foi uma pausa para articular o próximo passo: levar o protesto para a sede da Prefeitura de Belém. Num levantamento da memória dos moradores, o bairro não vê obras significativas há quase 20 anos. Curiosamente, a praça Dom Pedro II, onde está localizado o palácio Lauro Sodré, sede da prefeitura, foi palco dos primeiros ataques da revolução cabana.

LEIA TAMBÉM: Cabanagem: em memória à revolta cabana

O que motivou o segundo protesto de moradores da Cabanagem — o primeiro, paralelamente, é dos moradores da rua dos Comerciários, na rodovia Mario Covas — foi a condição em que se encontram algumas das principais vias do bairro: estrada do Benjamin, estrada do Una, passagem Val de Cans, rua Principal do Panorama XXI, avenida Damasco (onde fica a feira) e rua São Paulo (onde há duas escolas e uma unidade de saúde). Essas vias estão esburacadas e alagam facilmente. Os poucos reparos feitos, dizem os moradores, são feitos pela própria população.

Por volta de 10h30, um grupo de moradores da Cabanagem interditou a avenida Augusto Montenegro. Usaram paus e pneus em chamas para interditar completamente a via. Policiais militares e a Guarda Municipal de Belém orientaram que deveriam procurar a prefeitura e buscar soluções lá, relata o rodoviário Alex Monteiro. A ideia foi bem recebida e o ato foi encerrado às 14h.

"Estamos organizando uma forma de fretar um ônibus e levar o protesto para a prefeitura e cobrar lá, como foi recomendado. Temos documentos da prefeitura, no qual dizem que essas vias que estão tão ruins, estão asfaltadas. No máximo receberam aterro. Nunca foram pavimentadas. Agora temos lixões deixados no bairro. Um deles próximo à feira recente da Cabanagem, na Damasco. Todos os dias motos, carros e ônibus estão nas oficinas por causa dos buracos", diz Alex, de 32 anos, nascido e criado no bairro.

Inicialmente, a informação é de que seria um protesto de moto-taxistas, já que um trabalhador dessa categoria foi assassinado pouco antes da manifestação. Mas essa confusão só ocorreu por conta do apoio de moto-taxista contra os problemas de saneamento do bairro da Cabanagem, pois também se sentem prejudicados, devido aos danos constantes nos veículos.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!