PEC da Transição terá Sessão no Senado nesta terça-feira

Sessão de votação é anunciada pelo senador Davi Alcolumbre; validade dever ser de dois anos

O Liberal

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (União Brasil-AP), agendou a reunião do colegiado em que terá início a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da transição para as 9h30 desta terça-feira, 6. As informações são da Agência Estado e do Metrópoles.

Alcolumbre fez uma postagem nas redes sociais sobre a votação desta terça-feira. Na publicação, o senador afirma que decisão se deu após reunião com os presidentes da Casa, Arthur Lira (PP) e Rodrigo Pacheco (PSD).

Mesmo que haja um pedido de vista, como já sinalizou o relator-geral do Orçamento, Marcelo Castro (MDB-PI), o recurso deve adiar a sessão em apenas uma hora, com retorno em seguida.

VEJA MAIS

image Pacheco pauta PEC da transição para quarta-feira, mas aguarda decisão da CCJ
Expectativa é de que o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Davi Alcolumbre, inicie a discussão do terma na terça-feira

image Salário mínimo pode subir para R$ 1.320 em 2023; entenda
O salário mínimo serve de referência para 56,7 milhões de pessoas no Brasil, das quais 24,2 milhões de beneficiários do INSS

image PT aceita reduzir prazo do Bolsa Família fora do teto de gastos, diz líder no Senado
PEC da Transição tem um custo de R$ 198 bilhões, e senador Paulo Rocha sinalizou que esse valor pode ser reduzido

O relator-geral do Orçamento, senador Marcelo Castro (MDB-PI), afirmou que, diante da resistência entre os líderes e do prazo de dois anos sugerido pela equipe técnica, a PEC deverá ser aprovada para ter vigência por esse período, a partir de 2023. “A PEC será modificada no substitutivo para ser dois anos, pois há um número expressivo de deputados e senadores resistentes em aprovar a matéria por quatro anos”, declarou. “O valor como está hoje, em R$ 198 bilhões”, disse.

A reportagem apurou que o pedido de vista deve partir do líder do governo no Senado, Carlos Portinho (PL-RJ), que não concorda com os R$ 175 bilhões fora do teto de gastos, tal qual proposto para cobrir o pagamento do Bolsa Família de R$ 600 e de R$ 150 para mães com filhos de até 6 anos no ano que vem.

Para o senador, é possível trabalhar com um valor menor.

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA