Pandemia: centrais sindicais assinam carta pedindo medidas do governo do Pará

Documento divulgado na manhã desta sexta-feira (29) destaca 13 pontos considerados essenciais na luta contra o coronavírus

Redação Integrada

Um documento assinado por diversas centrais sindicais paraenses foi publicado nesta sexta-feira (29), endereçado ao governador do Pará, Helder Barbalho, para debater ações que garantam a saúde e a vida da população e dos trabalhadores do Estado, frente à pandemia do novo coronavírus.

No texto, as entidades se posicionam de forma contrária à política do governo federal, que não defende o isolamento social e quer retomar a atividade econômica no país, e afirmam que o "Pará não pode seguir esta mesma lógica". Os grupos pedem que o governador mantenha as medidas de isolamento social no Estado. A suspensão do lockdown, eles dizem, vai "na contramão do necessário".

Segundo as centrais, é preciso que sejam tomadas medidas para proteger os trabalhadores em seus locais de trabalho, ao mesmo tempo em que se estimula a economia, o emprego e a renda no Pará. No documento, foram incluídos 13 pontos defendidos pelas entidades, dentre os quais: a manutenção e ampliação das medidas de isolamento social em todo o Estado; garantia de estabilidade nos empregos para todos os trabalhadores durante a pandemia e por mais 180 dias, além de uma renda mínima; revogação das medidas restritivas de direitos e vantagens aos servidores públicos municipais e estaduais; garantia de equipamentos de segurança para evitar contaminações pela doença; garantia de bônus extra de insalubridades aos trabalhadores em risco de contaminação; manutenção da suspensão de aulas e atividades escolares presenciais; esterilização de hospitais, bancos, presídios, unidades socioeducativas e demais locais de grandes aglomerações; entre outros pedidos.

Assinaram o texto a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-PA), Central Única dos Trabalhadores (CUT-PA), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB-PA), União Geral de Trabalhadores (UGT-PA), Pública Central do Servidor (Pública-PA), Intersindical Central da Classe Trabalhadora (Intersindical-PA), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST-PA), Central Sindical e Popular Conlutas (CSP/Conlutas-PA), Força Sindical (FS-PA), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB-PA) e sindicatos.

"Diante o exposto, requeremos de Vossa Excelência todos os esforços e ações para garantir a saúde e a vida da população, colocando as riquezas produzidas pelos trabalhadores e o Estado para combater o inimigo comum, o coronavírus", finalizam o texto.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!