Mais três inquéritos sobre atos golpistas são abertos no Supremo

Agora existem sete investigações no STF sobre atos antidemocráticos

O Liberal
fonte

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes autorizou a abertura de mais três inquéritos sobre os atos golpistas de 8 de janeiro, quando vândalos invadiram e depredaram os prédios dos Três Poderes, em Brasília (DF). As informações são da Agência Brasil.

Com nos novos inquéritos as linhas investigativas serão ampliadas contra financiadores, autores intelectuais e pessoas que praticaram vandalismo, mas não foram presas em flagrante.

VEJA MAIS

image Em 2023, Senado já recebeu dois pedidos de impeachment contra Moraes
Militantes alegam, nas argumentações dos pedidos, que Moraes teria desrespeitado a lei como relator do chamado Inquérito das Fake News

image Moraes converte 140 prisões de radicais em preventivas por evidências de atos terroristas
De acordo com Moraes, há evidências de que os 140 presos cometeram diversos crimes

A determinação de Alexandre de Moraes atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que alegou a necessidade de separar cada eixo de investigação e otimizar recursos. A decisão é sigilosa e seu conteúdo não foi divulgado. Com a nova autorização, agora há sete inquéritos no Supremo relacionados aos atos golpistas.

“As investigações têm como objeto a apuração dos crimes de terrorismo (artigos 2º, 3º, 5º e 6º) previstos na Lei 13.206/2016, e de outros seis crimes previstos no Código Penal: associação criminosa (artigo 288); tentativa de abolição violenta do Estado Democrático de Direito (artigo 359-L); tentativa de golpe de Estado (artigo 359-M); ameaça (artigo 147); perseguição (artigo 147-A, § 1º, III); e incitação ao crime (artigo 286)”, informou o Supremo.

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA