Jornalista americano questiona atos de Alexandre de Moraes e gera polêmica

Fundador do Intercept Brasil, Glenn Greenwald disse que brasileiros esqueceram "rápido demais" que Moraes foi indicado ao STF por Temer

Elisa Vaz

O fundador do Intercept Brasil, jornalista Glenn Greenwald, foi criticado nas redes sociais após atacar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Ele usou sua conta no Twitter para questionar as decisões de Moraes e o poder usado pelo ministro após os ataques em Brasília. Isso porque ele prometeu punir todos os envolvidos nas invasões contra as sedes dos Três Poderes no último domingo (8).

Em sua publicação, Glenn afirmou que não consegue pensar em exemplo próximo de outro juiz que já teve tanto "poder" como Alexandre de Moraes possui no Brasil. O jornalista ainda disse que há uma ironia na popularidade do membro do STF entre a mídia e a esquerda, já que ele foi ministro da Justiça no governo Temer e depois indicado por ele ao Supremo. Confira o questionamento:

A publicação rendeu várias respostas de internautas, que criticaram Glenn pelo posicionamento, dizendo que o momento é inoportuno, ou questionaram o fato de ele estar "mudando de lado". Veja algumas mensagens:

Já outros internautas tentaram argumentar em defesa do ministro Alexandre de Moraes e da democracia, ao que Glenn rebateu dizendo que "esquecer um golpe só seis anos depois parece bem rápido". Leia:

Comparação

Quando o jornalista Chico Pinheiro respondeu Glenn dizendo que ele não deveria criticar "quem luta contra o terrorismo bolsonarista" porque o país estaria "ameaçado", o americano retrucou dizendo que esta tática é "autoritária e desonesta", comparando com a que foi usada pelo governo Bush após o ataque de 11 de setembro. Confira na íntegra:

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA