Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Indicado por Bolsonaro, ministro André Mendonça responde às críticas por voto no caso Silveira

Magistrado se manifestou pelo Twitter afirmando que não foi chamado para endossar atos que incitem a violência

O Liberal

Criticado por bolsonaristas após voto a favor da condenação do deputado federal Daniel Silveira (PTB/RG), o ministro do Supremo Tribunal Federal, André Mendonça, usou as redes sociais para comentar sobre a decisão tomada nesta quarta-feira (20).

VEJA MAIS

Lira recorre a STF para que Câmara decida sobre cassação em casos como o de Silveira
Sem citar o caso de Silveira, Lira protocolou o recurso em uma ação de 2018 que trata do tema, enquanto o processo de Daniel Silveira era julgado

‘Fascista’, ‘falência da democracia’; políticos paraenses repercutem condenação de Daniel Silveira
Apoiadores do ex-presidente Lula concordaram com a condenação, enquanto aliados do presidente Jair Bolsonaro criticaram a sentença

Deputado Daniel Silveira é condenado a oito anos e nove meses de prisão pelo STF
Deputado era acusado de estimular ataques antidemocráticos e contra instituições

Ele afirmou que acreditava não ter sido chamado “para endossar comportamentos que incitam atos de violência contra pessoas determinadas” ou para “avalizar graves ameaças físicas contra quem quer que seja”.

As declarações foram escritas no Twitter. “Há formas e formas de se fazerem as coisas. E é preciso se separar o joio do trigo, sob pena de o trigo pagar pelo joio. Mesmo podendo não ser compreendido, tenho convicção de que fiz o correto”, disse Mendonça.

O ministro foi indicado ao Supremo pelo presidente Jair Bolsonaro, por isso tem sofrido críticas de aliados do governo pelo voto a favor da condenação de Silveira.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA