Denúncias de racismo dentro do governo federal cresceram 94% em 2023, aponta CGU

Onde mais houve denúncias de racismo neste ano foi na Polícia Federal, Ministério da Mulher e no INSS

O Liberal
fonte

Ao longo de cinco meses da gestão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foram registradas 394 ocorrências de denúncias de racismo dentro do governo federal, segundo dados da Controladoria-Geral da União (CGU). O número representa um aumento de 94% em relação ao mesmo período do ano passado. A atual média é de três denúncias por dia; até fevereiro, havia, em média, duas notificações diárias.

VEJA MAIS:

image Racismo no trabalho: saiba o que fazer e como denunciar o crime
Cerca de 39% dos profissionais pretos e pardos já foram discriminados no trabalho por causa da cor da pele, aponta pesquisa

image Combate ao racismo é tema de ao menos nove proposições na Alepa
Dois deputados paraenses são responsáveis pela autoria das matérias: Fábio Freitas e Lívia Duarte

image Secretarias estaduais são cobradas sobre ações antirracismo em estádios paraenses após caso Vini Jr
Casos de racismo em estádios de futebol voltaram ao foco após os ataques ao jogador brasileiro Vinicius Jr. em partida entre Real Madrid e Valencia

O levantamento da CGU aponta que, nos últimos quatro anos e cinco meses, ou seja, todo o governo de Jair Bolsonaro (PL) somado aos cinco meses de governo Lula, foram registradas 2.646 denúncias de racismo no Executivo. Desse total, 1.922 foram concluídas e 658, arquivadas.

O ápice de casos desse tipo foi em 2020, no governo Bolsonaro; entre janeiro e maio daquele ano, foram 675 denúncias. A maioria delas partiu da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), com destaque especial para a então Superintendência de Trens Urbanos de Belo Horizonte, privatizada para o Grupo Comporte em dezembro do ano passado.

Divisão por órgão

Ainda de acordo com os dados atuais, onde mais houve denúncias de racismo neste ano foi na Polícia Federal (29), Ministério da Mulher (28) e no INSS (19). Confira o restante da lista:

  • Ministério da Educação e Ministério dos Direitos Humanos: 16
  • Universidade Federal de Minas Gerais e Ministério do Trabalho e Previdência: 13
  • Presidência da República, Controladoria-Geral da União e Ministério da Saúde: 10

Um dos motivos para órgãos como a Polícia Federal e o Ministério dos Direitos Humanos estarem no topo do ranking é que, muitas vezes, denunciantes procuram por instituições que têm políticas relacionadas ao tema, segundo a CGU.

“O fato de determinado órgão ou entidade receber denúncia de assédio não necessariamente significa que o ato relatado tenha ocorrido naquele ambiente ou que tenha sido realizado por servidor daquele local”, explicou a Controladoria.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA