Campanha do governo tem início precoce à vida sexual como foco

Redação Integrada

Estimular o jovem a refletir sobre o momento certo para o início à vida sexual, conscientizando-o das conseqüências negativas de um processo prematuro. Esses são os objetivos da campanha publicitária que o governo federal está preparando para lançar no mês de fevereiro. Para evitar críticas, representantes da secretaria nacional da Família argumentam que a ideia é deixar claro na campanha que a escolha sobre o momento de iniciar a vida sexual cabe exclusivamente ao adolescente e que, caso ele decida iniciá-la cedo, é importante usar contraceptivos.

O conteúdo foi discutido entre os Ministérios das Mulheres, da Família e dos Direitos Humanos; da Saúde; e da Educação. A ideia é que a campanha seja difundida entre os estudantes do ensino médio, durante a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência. 

Segundo Angela Gandra Martins, da Secretaria Nacional da Família, o objetivo é criar um programa para conscientizar jovens sobre o que é uma relação sexual e sobre suas conseqüências. Questionada se a proposta também leva em conta a oferta e uso de preservativos, Martins afirma que a pasta estuda uma "nova visão" e "outro caminho" para combater precocidade sexual na adolescência, a exemplo do movimentos como "Eu Escolhi Esperar", que defende que jovens cristãos esperem pelo casamento para terem relações sexuais.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!