Bolsonaro diz que governo negocia retirada de forças de segurança da reforma da Previdência

Segundo o presidente, a categoria dos policiais ‘nunca teve privilégios’

Reuters

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (9) que o governo negocia a retirada das forças de segurança no texto principal da Previdência, que será votado nesta semana, para que seja enviada depois por projeto de lei complementar.

Segundo o presidente, a categoria dos policiais “nunca teve privilégios” e é possível ainda “desfazer possíveis injustiças”.

“O que eu tenho falado é a questão do privilégio. Todo mundo está colaborando de uma forma ou de outra com essa questão da Previdência. Agora, privilégio essa classe nunca teve. Então, acho que o ajuste passa por aí”, disse o presidente.

“Pelo que tudo indica, que chegou ao meu conhecimento é que essas classes --da segurança pública-- deverão sair da PEC e deverão compor uma lei complementar tão logo seja promulgada essa PEC.”

Segundo o presidente, os líderes do governo e o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, estariam negociando a questão dos policiais.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!