Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Alcolumbre vira réu em ação que apura 'rachadinha'

Senador é acusado de contratar funcionárias-fantasma no gabinete dele

Emilly Melo

O ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (União Brasil-AP), virou réu em um novo processo da 4ª Vara Federal de Porto Alegre, que apura um esquema de rachadinhas no gabinete do senador. A ação movida pelo advogado Rafael Severino Gama afirma que Alcolumbre teria contratado seis funcionárias-fantasma, que foram exoneradas antes de Rodrigo Pacheco assumir a presidência do Senado. Com informações da Veja. 

A denúncia acolhida pelo juiz Luiz Clovis Braga, indicado por sorteio, acusa o senador, que agora vira réu, de contratar seis funcionárias (todas solteiras e desempregadas que residiam em Brasílias ou cidades vizinhas de Goiás), com salários que variavam de R$ 4 mil a R$ 14 mil, mas que nunca compareceram ao trabalho. Segundo a denúncia, o senador desviou um total de R$ 2 milhões.

“O ato atacado trouxe, flagrantemente, danos ao patrimônio público nacional, eis que os gastos decorrentes do ato atacado implicam desembolso de somas vultosas, em manifesta afronta ao arcabouço legal nacional. Ademais, verifica-se a lesividade ao patrimônio público ao se permitir o ato imoral de uso da máquina pública para satisfazer interesses pessoais”, diz um trecho da ação.

Na última segunda-feira, o senador apresentou uma contestação alegando que a Justiça Federal do Rio Grande do Sul não tem competência para julgar a ação. Ele pede que o caso seja transferido para o Distrito Federal.

 

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Hamilton Braga, coordenador do Núcleo de Política)

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA