Policial atira e mata cachorro em Ponta de Pedras

Ação teria ocorrido durante diligência para captura de um ex-presidiário foragido

Redação Integrada de O Liberal

Um cachorro da raça labrador foi morto a tiros por um policial militar na noite da última sexta-feira (1), no município de Ponta Pedras, na Ilha do Marajó. A ação teria ocorrido por volta das 20h30, quando cerca de 20 policiais em diligência para a captura de um ex-presidiário foragido da justiça, conhecido como “Baby”, invadiram uma residência na rua Belém, bairro da Campinha, e mataram o cão, de apenas um ano de vida. A ação dos policiais militares foi criticada nas redes sociais e vista como exagerada pelos moradores do município.

LEIA MAIS: Homem é preso em flagrante por atirar em cachorro em Medicilândia

A Polícia Civil afirma não ter recebido denúncia sobre o caso e a Polícia Militar, contactada, ainda não se pronunciou sobre o assunto. Testemunhas dizem que os donos do animal não procuraram a delegacia local para registrar o ocorrido por medo de represálias. 

Segundo moradores da rua onde o imóvel está localizado, cerca de 20 policiais estavam na ação. Alguns com roupas comuns e outros com uniforme da Polícia Militar. Três entraram na casa, onde o animal estava preso a uma coleira, nos fundos do imóvel. “Quando eles chegaram, os moradores da casa mais outros vizinhos estavam todos conversando na frente da casa. Eles chegaram dizendo ‘perdeu’, ‘perdeu’, deram coronhada na cabeça de uma pessoa e xingaram outras, não conversaram com ninguém. Eles estavam armados e foram entrando na casa, onde não tinha ninguém só o cachorro na coleira e aí ouvimos um tiro”, contou a testemunha.

Sem encontrar o alvo da ação, os policiais desocuparam o imóvel. “Quando eles saíram de dentro da casa a dona entrou lá para ver como estava a situação. Foi quando ela se deparou com o animal morto e gritou. O morador foi dizer que eram pessoas do bem e reclamar com eles o porquê de terem atirado no cachorro e um deles, de forma até irônica, disse que não era veterinário”.

Ainda de acordo com o morador, depois da operação frustrada que resultou na morte do animal, somente um policial estava um pouco mais calmo. “Esse policial chegou a dizer que a polícia recebeu denúncia de que o bandido estava escondido lá na casa. Mas isso não procede, porque naquela casa moram pessoas do bem e que vivem aqui há muitos anos”, defendeu.

Caso incomodou internautas nas redes sociais

A violência foi parar nas páginas de um jornal local, disponível nas redes sociais, que publicou fotos do animal morto.

O fato também provocou indignação nos leitores do jornal. “Os policiais que invadiram uma casa aqui na rua Belém atrás do ‘Baby’, que está dando trabalho para a polícia. Como eles não encontraram o bandido, deram um tiro no cachorro. Policiais totalmente despreparados", disse um leitor.  "A polícia tem que fazer seu trabalho, nas não desse jeito", completou outro.

 

Polícia