Flanelinha é morto a facadas no bairro do Guamá

Josemar tinha um extenso histórico no mundo do crime

Redação Integrada

O flanelinha Josemar Ribeiro Andrade, de 44 anos, foi encontrado morto na tarde desta segunda-feira, 13, dentro da própria casa, situada em uma vila na passagem Santa Rosa, perto da passagem Popular, no bairro do Guamá, em Belém. A vítima, conhecida como Tatu, morava sozinha em uma pequena casa de madeira. O corpo dele foi encontrado por volta de 15h depois que a vizinhança notou um rastro de sangue escorrendo por debaixo das frestas de madeira da casa onde o flanelinha morava. No cadáver foram encontradas perfurações feitas por objeto perfurocortante, indicando que a vítima foi morta possivelmente por golpes de faca. 

Nos curta no Facebook para acessar as principais notícias do dia, lives e promoções.* Clique aqui 

Na vizinhança ninguém soube informar as circunstâncias da morte de Josemar. Também não foram ouvidos barulhos de discussões ou brigas. A vítima, no entanto, era conhecida no mundo do crime pela prática de roubos e tinha envolvimento com o tráfico de drogas. A autoria do assassinato ainda é desconhecida. 

"Ele era 'clínico-geral' no mundo do crime (gíria para quem pratica diversos delitos), aí já viu. Tinha envolvimento com drogas, com tudo. Quando a gente se mete nisso...Morava sozinho, não tinha filhos, não tinha esposa. Não ouvimos sinais de briga nem barulho nenhum, nada, nada.... Só achamos o corpo através do sangue no chão, eu achava até que era açaí. Peguei um pauzinho e mexi e vi que não era açaí, era sangue. Foi quando a gente descobriu o corpo dele", comentou Feliciano Tavares, tio da vítima, que mora na residência ao lado. 

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil. O corpo de Josemar foi removido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA