Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

EXCLUSIVO: Megaoperação na região das ilhas de Belém flagra aglomerações com lanchas no Combu

Um helicóptero do Graesp e três lanchas, dos Bombeiros, Polícia Civil e do Grupamento Fluvial da PM, foram mobilizados

Dilson Pimentel

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) realizou, na tarde deste sábado (17), uma grande operação em uma região conhecida como Prainha do Combu, nos arredores de Belém. O objetivo era impedir aglomerações e a quebra das regras dos protocolos estabelecidos pelo decreto estadual que ainda mantém a região da Grande Belém em bandeiramento vermelho, por causa do quadro da pandemia de covid-19 no Pará. A Marinha do Brasil também participou da ação. Veja:

Os agentes de segurança pública usaram três lanchas e mobilizaram 12 homens do Grupamento Fluvial (Gflu), Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp). Homens da Capitania dos Portos também foram acionados.

Das três embarcações que integraram a ação, uma delas era blindada, recentemente adquirida pelo governo do Estado.  

Diligências foram feitas no entorno da ilha do Combu e nos furos. Vale lembrar que, no atual estágio do bandeiramento da Grande Belém, os estabelecimentos comerciais podem funcionar, desde que atentem para as normas do último decreto estadual. 

"As equipes fiscalizaram o distanciamento entre as mesas e o uso de máscara pelos frequentadores, e verificaram se os estabelecimentos estavam de acordo com o rigor da legislação", informou a Segup em nota, na noite deste sábado (17). 

A fiscalização flagrou irregularidades e presença de várias lanchas, barcos de médio porte e motos náuticas na área. Vários bares, restaurantes, clubes e casas de diversão também foram verificados. O objetivo da ação era evitar a realização de festas, em estabelecimentos e também em lanchas e outras embarcações, para, assim, evitar a disseminação do novo coronavírus.

Os agentes abordaram várias embarcações com grandes lotações e festas sendo realizadas. As autoridades acabaram atuando para que seus ocupantes se dispersassem. Comandantes foram orientados a fazer com que suas embarcações voltassem aos portos

Autoridades mandaram participantes dispersar (Filipe Bispo / Especial para O Liberal)

Os agentes abordaram várias embarcações com grandes lotações. Festas estavam sendo realizadas. As autoridades acabaram atuando para que seus ocupantes dispersassem. A polícia ainda deu ordem a comandantes para que as embarcações voltassem aos portos.

Ação foi planejada após denúncias sobre 'praia'


O delegado Arthur Braga explicou que o Grupamento Fluvial (Gflu), do qual ele é o diretor, planejou essa operação para cumprir o decreto 800, do governo do Estado, para evitar a disseminação do coronavírus.

“Tivemos algumas denúncias, principalmente nessa região da ilha do Combu, uma área conhecida como prainha, que apontavam que algumas lanchas estavam se aglomerando, fazendo festas. E montamos essa operação integrada, com a participação da Delegacia Fluvial, da Companhia Fluvial, Grupamento Fluvial. E, também, da Marinha em outros pontos, pois também recebemos denúncias sobre embarcações em alta velocidade e fizemos essas frentes”, esclareceu.

“Tivemos denúncias de que no Combu, na área conhecida como Prainha, lanchas estavam se aglomerando, fazendo festas, e embarcações estariam em alta velocidade. A área é conhecida pelo turismo com embarcações. Quando seca, vira uma praia. Estavam querendo fazer festa. Quando chegamos, havia mais de dez embarcações. Fizemos as orientações devidas. Para algumas, o registro foi feito”, disse o delegado Arthur Braga

“Essa área aqui é conhecida pelo turismo das embarcações. Motos náuticas e lanchas vêm pra cá. Quando seca, vira uma praia e estavam querendo fazer festa. Montamos operação para evitar que isso acontecesse. Quando chegamos, havia algumas embarcações (mais de dez). Fizemos as orientações devidas. Para algumas o registro foi feito”, acrescentou. 

O delegado disse que a atuação dos órgãos tem um efeito muito positivo. “A gente tem a ideia de que a praia está fechada apenas para o pobre. Na realidade, o nosso inimigo é apenas um: o coronavírus. A segurança pública está unindo todas as forças para evitar a disseminação do vírus”, afirmou o delegado Arthur Braga.

"A praia está fechada apenas para o pobre. Na realidade, o nosso inimigo é apenas um: o coronavírus. A segurança pública está unindo todas as forças para evitar a disseminação do vírus", avaliou o delegado Braga

"A velocidade de embarcações em alguns furos tem prejudicado a população que reside no Combu”, detalhou o diretor do Gflu. "Com essa ação, podemos notar (depois)  a tranquilidade na área  que foi totalmente controlada”, ressaltou ainda o delegado Braga.

Ainda não há a confirmação do total de barcos abordados e sobre quantas multas foram aplicadas durante a ação. Não há também informações sobre detenções ou outras ocorrências.

A redação integrada de O Liberal acompanha mais informações e apura o balanço completo da Segup. Acompanhe.

Helicóptero do Graesp deu apoio à ação (Filipe Bispo / Especial para O Liberal)
Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA