Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

DIOE prende três acusados de participação em assalto a agência bancária no Telégrafo

De dentro do cofre do banco, eles subtraíram R$ 160 mil. Polícia recuperou 3,1 mil

A Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe) prendeu três homens acusados de furtarem uma agência do Banpará, localizada no bairro do Telégrafo, em Belém. O crime aconteceu no último domingo (7), por volta das 21h, quando eles, de acordo com a Polícia Civil, furtaram o banco e arrombaram o cofre da agência. De dentro do cofre subtraíram R$ 160 mil, segundo informações da gerência repassadas à polícia.

Com os presos, dos quais dois são de fora do Estado, policiais da Delegacia do Consumidor (Decon), da Dioe, tendo à frente o delegado Ivens Carvalho Monteiro, apreenderam R$ 3,1 mil, um carro usado por eles e vários comprovantes de boletos de depósitos bancários.   

Por volta das 9h desta terça-feira (7), Erick Ireno Martins, Elder Benvindo Bonfim e José Santiago de Albuquerque foram apresentados à imprensa na Dioe, no Marco. Em seguida, por volta das 9h30, foram levados da Dioe para o Fórum Criminal, no bairro da Cidade Velha, em Belém, para audiência de custódia com a Justiça do Estado.

Segundo o delegado Neyvaldo Silva, diretor da Dioe, os três foram presos pela equipe da Decon, depois que esta delegacia recebeu denúncia anônima. As prisões foram por volta das 20h30 desta segunda-feira (9), em um motel, que fica no bairro do Coqueiro, em Ananindeua, na Grande Belém.

Ainda segundo o delegado Neyvaldo Silva, as notas recuperadas já foram reconhecidas pela gerência do banco. Além disso, os acusados teriam confessado a participação no furto da agência do Banpará.

“No interrogatório eles confessaram a participação deles, inclusive encontramos em poder deles valores já reconhecidos pela agência. Diante de todas evidências e das confissões, eles foram autuados em flagrantes e passam por audiência de custódia”.

A maioria do grupo é formada por pessoas de fora do Estado. Erick Ireno Martins é de Belém (PA). Elder Benvindo Bonfim é de Salvador (BA) e José Santiago de Albuquerque de Recife (PE). De acordo com os acusados, um quarto homem também teria participação no caso, mas ele foi embora para outro estado na segunda (8).

“Na verdade, a modalidade deles é o furto qualificado. Eles entram, arrombam a empresa com material apropriado e conseguem arrombar cofres. Temos convicção de que eles ainda estavam no Pará para dar continuidade às ações, já que a maioria é de fora. A prisão é uma contribuição que a Dioe fez para ajudar a combater esse tipo de crime, que lesa as agências bancárias”, afirmou Silva.

Érick, 35 anos, já responde por crime previsto na Lei Maria da Penha. José tem 44 anos e já responde pelo crime de associação criminosa pelo estado do Rio de Janeiro. Elder, 34 anos, até então, não tem passagem pela polícia.

Desta vez, eles respondem pelos crimes de furto qualificado e associação criminosa, que antes era o crime de formação de bando ou de quadrilha.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA