Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Caso Kairon: imagens mostram acusado jogando café quente no rosto do estudante

De acordo com a Polícia Civil, Arlindo de Jesus Corrêa Neto, acusado de mandar assassinar Kairon Melo, fazia várias ameaças contra a vítima

O Liberal

Frames de imagens de câmera de seguraça, divulgadas pela Polícia Civil nesta sexta-feira (8), mostram o momento em que Arlindo de Jesus Corrêa Neto jogou café quente no rosto de Kairon Melo, na faculdade onde eles cursavam Odontologia, em Belém. A data exata do registro não foi informada, mas, segundo o delegado Xavier, da Divisão de Homicídios (DH), antes do crime que ceifou a vida de Kairon, ocorreram várias ameaças como essa. O motivo investigado é ciúme, pois Kairon se relacionava com a ex-namorada de Arlindo.

VEJA MAIS

Homicídio em Icoaraci: estudante de odontologia é assassinado a tiros no Quinta dos Paricás
Kairon Silva Melo, de 21 anos, estava visitando a namorada no condomínio quando foi alvejado com pelo menos oito disparos de arma de fogo. Suspeita é de que o ex-companheiro da moça tenha cometido o crime por ciúmes

Caso Kairon: acusado de mandar assassinar estudante está preso em Belém
O estudante de odontologia Kairon Melo foi assassinado a tiros no dia 22 de junho, em um condomínio popular, em Icoaraci

Suspeito do assassinato de estudante de odontologia é preso por roubo e associação criminosa 
PC descobriu mandado de prisão preventiva em aberto pelos crimes citados 

Nesta sexta, a polícia informou que Arlindo de Jesus Corrêa Neto, suspeito de mandar assassinar a tiros o estudante de odontologia Kairon Melo, no dia 22 de junho, em um condomínio popular, em Icoaraci, está preso na DH, bairro de São Brás, em Belém.

Ainda segundo o delegado, Kairon não tinha inimizades e era uma pessoa querida. O principal interessado na morte dele era o Arlindo, pois era a única pessoa que o ameaçava, segundo o delegado. Arlindo, Kairon e a moça que foi namorada deles estudavam juntos, na mesma sala, no curso de Odontologia em uma faculdade da capital. No dia em que houve a situação do café quente no rosto, Arlindo teria dito que "iria pegar Kairon", conforme detalhou o delegado.

"E faziam faculdade os três juntos. Faculdade de Odontologia numa faculdade particular. Logo que ele descobriu que ela estava se relacionando com o Kairon, ele o ameaçou. Inclusive, tem uma foto, que eles discutiram numa lanchonete. Ele jogou café quente no rosto da vítima. E, no dia 12 de junho, o Kairon assumiu publicamente, por meio das redes sociais, esse relacionamento com a moça. Ela também jogou nas redes sociais. Dias depois, Kairon foi covardemente morto no Paricás. Chegaram dois indivíduos de moto, não falaram nada, não levaram nada e efetuaram vários disparos que ceifaram a vida do Kairon. As investigações apontam evidências de áudios, mensagens via WhatsApp e redes sociais, que apontam o Arlindo como mandante", detalhou o delegado.

SAIBA MAIS SOBRE O CASO KAIRON

Caso Kairon: suspeito de mandar matar estudante é conduzido ao sistema prisional
Arlindo de Jesus Corrêa Neto é acusado de mandar assassinar a tiros o estudante de odontologia Kairon Melo, no dia 22 de junho, em um condomínio popular, em Icoaraci

Caso Kairon: polícia divulga mensagens com ameaças antes do crime em Icoaraci
'Eu não estou nem aí se vou ser preso ou não', dizia acusado de mandar assassinar estudante Kairon Melo a tiros, em junho. Ele está preso em Belém

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA