Caminhoneiros interditam uma das pistas da BR-316

Protesto só acabou após Detran assumir compromisso de agendar reunião com manifestantes

Redação Integrada

Caminhoneiros autônomos, motoristas de ônibus de turismo e de vans e mototaxistas protestaram na BR-316, no município de Marituba, na manhã desta segunda-feira (10). Eles ocuparam uma pista, no sentido Belém, mas deixaram espaço para a circulação dos veículos. O protesto, que durou em torno de duas horas e começou às 7 da manhã, terminou depois que um diretor do Departamento de Trânsito do Pará (Detran) assumiu o compromisso de agendar uma reunião dos trabalhadores com representantes da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de Ananindeua (Semutran). A categoria se queixa das constantes fiscalizações e apreensões por parte da Semob e Semutran. 

LEIA MAIS:

Caminhoneiros ameaçam interditar a BR-316 na segunda-feira

Presidente da federação que reúne as microempresas de ônibus de Turismo (Femptur/PA), Salomão Fernandes disse que esse protesto começou "com a luta dos caminhoneiros. Mas outras categorias também estão sendo penalizadas, assim como eu, que represento o setor de ônibus de turismo. É o abuso (dos agentes) da Semob e da Semutran, que, por qualquer besteira, querem guinchar. Qualquer blitz que a gente entra, se tem um pisca-pisca queimado, que caberia uma multa, eles querem logo guinchar. E, hoje, um guincho e um pátio estão em torno de R$ 2 mil, R$ 2.200", disse. "Ninguém é contra a fiscalização. Ao contrário. Queremos é que eles façam a fiscalização em cima do que manda a legislação de trânsito. O artigo 270 do Código de Trânsito Brasileiro diz que qualquer problema no veículo, e que não pode ser sanado no local, será feita a multa, recolhido o documento e o carro, liberado. Hoje, não. Qualquer besteira guincham o veículo e é muito prejuízo para todos nós", afirmou. 

Salmoão disse que os motoristas encerram o protesto porque aquele diretor do Detran chamou a categoria para convesrar. "Porque quem assina o convênio com esses órgãos de trânsito, no Estado, é o Detran. Demos esse voto de confiança para o dr. Bento (o representante do Detran). Vamos aguardar aí umas 24 horas. Se nada (acontecer), vamos voltar, ainda mais intensificado, porque a única forma de a a gente mostrar a cara é fazendo esse tipo de manifestação", afirmou.

Presidente da Federação dos Mototaxistas e Motoboys do Estado do Pará, Alessandro Félix disse que as apreensões, principalmente as de motocicletas, "têm sido feitas na marra, de forma truculenta". Ele também pediu uma fiscalização "ordeira, organizada e que respeite os direitos dos trabalhadores". Diretor técnico e operacional do Detran, José Bento Gouvêa, compareceu ao local do protesto e disse que ouviu a categoria. "Em seguida, vamos tentar convocar reunião com a Semob e Semutran, para ouvi-los também. E, depois, partir para tentar solucionar o problema", disse. Policiais militares do Batalhão de Policiamento Rodoviário, do Choque e da Cavalaria também acompanharam o protesto. 

Em nota, a Semob informou que não foi procurada pela categoria para discutir os pontos reclamados pela categoria. "Especificamente sobre caminhões, nos últimos oito meses apenas cinco caminhões foram guinchados pela Semob, todos por estarem parados na via por problemas mecânicos, uma medida prevista no Código de Trânsito Brasileiro, por isso a Prefeitura de Belém afirma que não procede nenhum tipo de afirmação de que a categoria esteja sendo prejudicada pelo órgão municipal de trânsito", afirmou.

 

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!