Pandemia 'não está nem perto de acabar', diz diretor-geral da OMS

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, apesar de avanços em alguns países, problema tem se agravado em boa parte do mundo

Reuters

A pandemia de Covid-19 não está nem perto de terminar, disse o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (29).

Tedros observou que, seis meses após a China alertar a OMS pela primeira vez sobre uma nova infecção respiratória, o mundo atingiu os marcos sombrios de 10 milhões de infecções confirmadas e 500 mil mortes. "A maioria das pessoas permanece suscetível. O vírus ainda tem muito espaço para se movimentar", disse ele.

"Todos nós queremos que isso acabe. Todos queremos continuar com nossas vidas. Mas a dura realidade é que isso não está nem perto de acabar. Embora muitos países tenham feito algum progresso globalmente, a pandemia está na verdade acelerando", acrescentou.

O chefe do programa de emergências da OMS, Mike Ryan, disse que houve um tremendo progresso no sentido de encontrar uma vacina segura e eficaz para prevenir a infecção, mas alertou que ainda não há garantias de que o esforço será bem-sucedido.

Enquanto isso, os países podem combater a propagação da doença testando, isolando casos confirmados e rastreando os contatos, disse Ryan. Ele destacou Japão, Coreia do Sul e Alemanha por suas "estratégias abrangentes e sustentadas" contra o vírus.

A OMS planeja convocar uma reunião nesta semana para avaliar o progresso das pesquisas no combate à doença, acrescentou.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!