Intestino saudável pode evitar formas graves de covid, diz estudo

Bactérias afetam a resposta imunológica à doença e podem influenciar a gravidade dos sintomas

Redação Integrada com informações do Daily Mail

O microbioma intestinal de uma pessoa pode desempenhar um papel no combate à infecção por coronavírus e na prevenção de sintomas graves de covid-19, de acordo com novos estudos.

Cada pessoa possui uma variedade única de bactérias em seu intestino que desempenham uma série de funções, incluindo a modulação da resposta imunológica.

Uma pesquisa da Universidade Chinesa de Hong Kong descobriu que pessoas que sofrem consequências mais graves com covid-19 tinham uma composição do microbioma "significativamente alterada".

Uma pesquisa separada da Coreia do Sul descobriu que pessoas com um intestino deficiente têm maior probabilidade de desenvolver covid-19 grave porque a falta de micróbios saudáveis ​​torna mais fácil para o vírus infectar células no trato digestivo.

A equipe de Hong Kong examinou sangue, fezes e registros de 100 pacientes hospitalares com covid-19 entre fevereiro e maio de 2020, e 27 desses pacientes também forneceram amostras 30 dias após a infecção ter passado.

Os pesquisadores também coletaram amostras de 78 pessoas sem covid-19 que estavam participando de um estudo de microbioma antes da pandemia.

O estudo conclui que o microbioma intestinal pode estar envolvido na “magnitude da gravidade da covid-19, possivelmente por meio da modulação das respostas imunes do hospedeiro”.

Os autores descobriram que os pacientes com covid-19 tinham níveis alterados de várias bactérias intestinais conhecidas por modificar a resposta imunológica de uma pessoa.

Por exemplo, havia evidências de níveis elevados de algumas bactérias, incluindo Ruminococcus gnavus, Ruminococcus torques e Bacteroides dorei.

Houve também níveis reduzidos de micróbios conhecidos por ajudar o sistema imunológico, incluindo Faecalibacterium prausnitzii e Bifidobacterium bifidum (essas encontradas em iogurtes, por exemplo).

As mudanças na composição bacteriana duraram pelo menos um mês após a eliminação do vírus.

Intestino saudável

Além dos probióticos presentes em bebidas lácteas fermentadas, como iogurtes, a ingestão de fibras é fundamental, para evitar a prisão de ventre ou constipação.

Uma dieta balanceada consiste em itens de todos os principais grupos de alimentos é a melhor maneira de manter um microbioma intestinal saudável.

Algumas espécies de bactérias vivem em nossos intestinos e nos ajudam a digerir alimentos dos quais nosso corpo não seria capaz de se nutrir.

Como subproduto desse processo, o microbioma também estimula o metabolismo, a digestão e estimula o sistema imunológico.

A pesquisa do Honk Kong descobriu que pessoas com Covid tinham baixos níveis das bactérias Faecalibacterium prausnitzii e Bifidobacterium bifidum.

A quantidade do primeiro é aumentada por uma molécula chamada inulina.

Este é um polissacarídeo, o que significa que são várias moléculas de açúcar ligadas entre si.

A inulina ocorre naturalmente no trigo, cebola, banana, alho e alho-poró.

Alimentos fontes de fibras

Frutas frescas: laranja, mexerica com bagaço, mamão, figo, ameixa, manga, kiwi, abacaxi, uva, entre outras.

Frutas secas: ameixa preta, damasco, figo seco, uva passa.

Cereais integrais: farelo de aveia ou de trigo, gérmen de trigo, linhaça, pão integral, arroz integral.

Leguminosas: feijão, lentilha, grão de bico, soja.

Hortaliças: berinjela, brócolis, vagem, aspargo, alcachofra e verduras, preferencialmente cruas como chicória (escarola), alface, rúcula.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO