Jurídico do Remo tenta desbloquear parte do valor da cota da Copa do Brasil

Fábio Bentes busca o desbloqueio de parte da cota da Copa do Brasil para pagamento de folha salarial

Fabio Will

Somadas as cotas de participação da primeira e da segunda fase da Copa do Brasil, a classificação diante do Freipaulistano-SE rendeu aos cofres do Remo mais de R$1 milhão, porém o clube não poderá usar o dinheiro até então, ofertado pela CBF, já que o Leão destinou a cota da competição para quitar débitos na justiça trabalhista. O departamento jurídico busca o desbloqueio de parte do dinheiro.

Em conversa com equipe de OLiberal, o presidente do Remo, Fábio Bentes, comentou sobre a questão das cotas. O mandatário azulino vai acionar o jurídico do clube para tentar utilizar o dinheiro para pagamentos da folha salarial. “O dinheiro vai para a justiça, mas existe a possibilidade de liberar parte do valor para salários, porém nada concreto. Prefiro aguardar”, comentou.

O clube possui uma ordem de bloqueio de R$3.5 milhões na Confederação Brasileira de Futebol referente à justiça trabalhista enviada em 2018, além de sete parcelas do acordo atrasadas, e a diretoria remista busca uma solução. “Estamos tentando mudar isso. É um valor alto em aberto e aí o juiz fez isso. Eu não tinha assumido a gestão quando foi feito esse bloqueio”, alegou Bentes.

JURÍDICO DO CLUBE

A reportagem entrou em contato com o advogado e diretor jurídico do Leão Azul, Pietro Alves Pimenta, que vai tentar reverter parte desse valor para investimento do clube. O diretor comentou que o clube paga um valor alto à justiça e que vem cumprindo com as obrigações.

“Nossa tentativa é através do diálogo. Sempre dialogamos com a justiça do trabalho, juízes, diretor da secretaria e tentamos demostrar que estamos pagando nosso débito trabalhista de forma constante. Temos mantido em dias as nossas obrigações e isso é um valor alto por ano”, falou.

Pietro usa do argumento que as cotas são novas fontes de renda e que não faziam parte do planejamento da justiça, mas que podem ser convertidas em mais fontes de receitas para o pagamento débitos antigos.

“Essas novas fontes de renda não estavam prevista e vamos conversar para nós usufruirmos, para converter em mais faturamento. Exemplo disso é reabrir o Baenão para jogos noturnos e aí teremos partidas no estádio e isso reforça a questão da renda. Outro exemplo é investir no elenco e clube indo bem, a torcida vai mais aos jogos e compra mais produtos”, citou.

SEQUÊNCIA

Na próxima quinta-feira (20), o Remo enfrenta o Brusque-SC, às 21h30, em Santa Catarina (SC), pela segunda fase da Copa do Brasil. Caso o Leão avance na competição o clube irá receber R$1,5 milhão de cota. A partida terá transmissão lance a lance pelo OLiberal.com

Remo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES