Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Radicado em João Pessoa, paraense vice-campeão mundial de vôlei fala da relação com Pará

Renato Andrew vem de uma família apaixonado pelo esporte e agora sonha com as Olimpíadas de Paris

Aila Beatriz Inete

Renato Andrew conquistou o vice-campeonato mundial de vôlei no último dia 19 de junho, na Itália. O jogador é natural de Belém e atualmente faz dupla com o paraibano Vitor Felipe. No entanto, o atleta começou no esporte ao lado do irmão gêmeo Rafael e, juntos, os dois conquistaram vários títulos com a base da Seleção Brasileira. Na semana em que foi celebrado o Dia Nacional do Vôlei, o paraense conversou com a equipe de O Liberal para falar sobre a carreira e o sonho de estar nas Olimpíadas de Paris, em 2024.

Toda a família de Renato é apaixonada pela modalidade. A mãe, Hellen Lopes, foi jogadora de vôlei de quadra e foi uma das principais incentivadoras para que os filhos também se apaixonassem pelo esporte. Apesar de levar o nome do Pará para todas as competições que participa, o paraense foi acolhido em João Pessoa (PB) há mais de 15 anos. Segundo Hellen, um dos motivos da mudança para a Paraíba foi justamente a paixão pela praia.

Assim, Renato e a família criaram uma relação de muito afeto com o estado nordestino. No entanto, a mãe contou que eles não esquecem Belém e que tentou conseguir espaço adequado para que os filhos treinassem aqui. 

“Nós amamos Belém. Pela idade dele [Renato], ele já quase paraibano, mas ele não esquece a terra dele. Ele não tem como treinar aqui, não tem uma praia tão próxima, não tem investimento. Se ele viesse, ele precisaria de toda uma estrutura que não temos aqui, mas onde ele vai, anunciam que ele é do Pará”, relatou a mãe. 

Com o irmão gêmeo, Renato conquistou um Mundial em Aracaju, na Tailândia, no Rio de Janeiro e o Pan-Americano na Colômbia. Agora, o paraense viaja neste sábado com Vitor Felipe para a etapa do circuito Mundial de Elite em Gstaad, na Suíça.

Renato e Rodrigo em primeiro lugar (Arquivo pessoal)

Confira a entrevista: 

OLiberal: Como você começou no vôlei?

Renato Andrew: Comecei no vôlei de praia junto com meu irmão gêmeo Rafael. Nós gostávamos muito de assistir nossos irmãos mais velhos Renan e Rodrigo jogando campeonatos e sempre acompanhávamos eles. Nós começamos a sentir interesse em treinar também, sempre estávamos com uma bola na mão, até mesmo em casa. Meus pais também sempre foram muito fãs do esporte, isso ajudou muito para a nossa paixão iniciar. O vôlei já estava no sangue da nossa família.

OL: Você tem um irmão gêmeo e durante muito tempo vocês eram uma dupla. Como foi essa parceria de vocês e o quanto foi importante para o crescimento de vocês na modalidade? 

RA: Rafael foi e ainda é uma inspiração para mim, sempre muito guerreiro e com uma habilidade acima da média. Nós jogamos juntos por muito tempo, fomos a base um para o outro, principalmente no começo da nossa caminhada. Nós somos muito unidos, amigos e ele é muito importante na minha vida, aprendemos muito um com o outro.

Juntos, os irmãos conquistaram vários títulos (Arquivo pessoal)

OLiberal: Como foi toda essa mudança para a Paraíba? Mesmo morando em outro estado, como é a sua relação com o Pará? Vocês visitam sempre o estado? 

RA: Nós mudamos para Paraíba em 2006 quando eu e Rafael ainda tínhamos apenas seis anos de idade. Confesso que não lembro muito bem dessa época, mas acredito que eu tenha gostado, por ser um lugar diferente, com praia, e também não tinha muita noção do que estava acontecendo por ser muito pequeno ainda. Hoje em dia gosto muito de morar aqui em João Pessoa, porém, Belém sempre vai estar no meu coração e a saudade vai estar sempre comigo, principalmente da família e das comidas.

OL: O vice-campeonato mundial foi um dos seus títulos mais importantes. Como foi a experiência no campeonato e essa conquista para ti? 

RA: O campeonato mundial foi uma experiência única na minha vida, eu nunca imaginei que fosse estar vivendo tudo isso. Foi uma medalha que pegou muitos de surpresa, não éramos nem de perto um time favorito a chegar na final. Porém, eu, Vitor e nossa equipe sempre acreditamos no nosso potencial, sabíamos que éramos capazes, principalmente por nossa luta e pela nossa capacidade de superar adversidades. Além disso, é sempre uma emoção a mais representar o país numa competição internacional, eu gosto dessa sensação e dessa pressão que existe quando vestimos a camisa do Brasil.

Renato e Vitor Felipe campeões nacional (Arquivo pessoal)

OL: O vôlei é o esporte que mais trouxe medalhas olímpicas para o Brasil. Então, queria saber se Paris 2024 já está nos teus planos. 

RA: Com certeza quero estar em Paris, mas entendo que tudo tem seu tempo. Vamos fazer de tudo para conseguir essa classificação e buscar a tão sonhada medalha para o nosso país. Para isso iremos lutar muito, sempre com a cabeça no lugar e com humildade também.

Mais Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES